Ana Bolena e Henry Percy

Henry Percy

Henry, lorde Percy, era o herdeiro de grandes propriedades e de um nome antigo: o pai era o magnata nortista conhecido como “Henry, o Magneficente”, o quinto conde de Northumberland. Havia se falado em um noivado com Mary Talbot, filha do conde de Shrewsbury, quando ele estava com cerca de 14 anos, mas parece que as negociações não tinham dado em nada. Como muitas vezes era costume com jovens filhos de lordes, ele estava, no momento, sendo educado no Sul, pela equipe do cardeal Wolsey. Lorde Percy tinha, na época, cerca de 20 anos. Ele era um menino muito bom, de maneiras agradáveis, alegres e animado ao extremo. 

Henry Percy pousou os olhos sobre Ana Bolena quando ela retornou da França em 1521. Seu caso com ela teve como pano de fundo a equipe da Rainha, onde ele encontrou a “recém-chegada jovem donzela” como dama de companhia. O perigo àquela altura, é claro, estava no fato de Lorde Percy ser um dos melhores partidos da Inglaterra, que se podia esperar fazer um casamento muito lucrativo, enquanto Ana Bolena (com um irmão para herdar a moderada riqueza do pai) não dispunha de nenhum dote.

Ana Bolena

De acordo com George Canvendish, biógrafo do Cardeal Thomas Wolsey, Percy começou indo à câmara da Rainha “para se distrair” e acabou ficando profundamente enamorado por Ana, afeto que ela retribuiu. “Desenvolveu-se tal amor secreto entre eles que depois de um certo tempo os dois ficaram garantidos” (isto é, ficaram unidos por uma promessa ou pré-contrato).

Rapidamente o romance teve à atenção de Henrique VIII e o Cardeal Wolsey, que se opuseram à união dos dois amantes. Parece improvável que naquela época Henrique estivesse interessado em Ana, pois em 1522 o objeto de sua afeição ainda era sua irmã, Maria. Parece mais provável que eles se opuseram a eles pois isso ia contra o casamento Butler-Bolena, que estava sendo promovido ao mesmo tempo.

O casamento Butler-Bolena se tratava de um projeto de casamento* entre Ana Bolena e Sir Piers Butler, já que ele herdaria as terras do Conde de Ormond, que morreu sem deixar herdeiros. Ele estava na corte inglesa e tinha quase a mesma idade de Ana, e em setembro de 1520 o rei Henrique concordou com o casamento, e então Ana foi trazida de volta da França, sendo colocada na equipe da Rainha Catarina como dama de honra.

Oliver Colerman como Henry Percy e Natalie Portman como Ana Bolena.

Oliver Colerman como Henry Percy e Natalie Portman como Ana Bolena.

Segundo Cavendish, o cardeal Wolsey pôs fim ao romance – daí o subsequente ódio de Ana Bolena por ele – a pedido do rei (cujo motivo, segundo se dizia, eram suas próprias intenções predatórias naquela direção).

Lorde Percy fez uma intrépida defesa de sua escolha, mencionando a “nobreza dos pais” e a ascendência real, enquanto alegava, de qualquer modo, que era livre e podia fazer seus votos “de acordo com os meus interesses”. Por fim, mencionou que “nesse assunto, cheguei até ese ponto diante de muitas testemunhas honradas, que não sei como evitar a mim mesmo nem eximir minha consciência”. Apesar disso, mandaram chamar lorde de Northumberland, que teve uma longa conversa com o cardeal Wolsey enquanto bebia um copo grande de vinho, e na presença de um grande número de seguidos de Wolsey, disse que seu filho era um pomposo, um selvagem. Lorde Percy recebeu um furioso sermão paternal, acusado de ter arruinado o seu pai ao ponto de ele só se salvar pela misericórdia e quase divina bondade do Rei.

O casamento com Mary Talbot foi ressuscitado em 1522, e foi decidido que Lorde Percy estava fora de corte e que nunca mais poderia voltar para reencontrar sua amada. O jovem não teve escolhe senão obedecer o pai, e no começo de 1524 ele se casou oficialmente com ela..

Isso foi um verdadeiro impacto para Ana, que ficou profundamente magoada. Todos sabiam que ela tinha se dado de corpo e alma a esse cavaleiro galante, que um dia seria o mais poderoso nobre do norte da Inglaterra. Qualquer outra garota, assustada com a atitude dos mais velhos, certamente obedeceria humildemente a ordem, mas Ana, mais do que apaixonada, estava com um desprezo enfurecido. Seu amor se quebrou em mil pedaços. Seu orgulho ferido. Ana iria esperar pacientemente até o dia em que ela poderia se vingar do cardeal. Percy foi desprezado por Wolsey, e a garota que era sensível iria se tornar uma mulher endurecida disposta a lutar e nunca esquecer o que a vida lhe tinha tirado.

Scott Handy como Henry Percy e Helena Bonham Carter como Ana Bolena.

Scott Handy como Henry Percy e Helena Bonham Carter como Ana Bolena.

Ana passou meses e meses no castelo de Hever, tentando diminuir a raiva que a atormentava constantemente. Ela deu seu coração a um homem que estava prestes a se casar com outra mulher. Ela sofreu tanto com seu amante que dá até pra sentir o amor sublime virando um desprezo amargo.

A história diz que o casamento de Percy com lady Mary Talbot se tornou, talvez de forma previsível, infeliz; segundo lady Percy em 1532, o marido disse-lhe que fizera um pré-contrato com Ana Bolena ( o que teria invalidado o seu próprio casamento). Entretanto, como um dos primeiros duques do reino, Henry era um dos membros do júri que condenou Ana Bolena por adultério. Durante o julgamento da Rainha, em 1536, Percy jurou solenemente o contrário do que disse a sua noiva: “O mesmo [juramento] pode representar a minha condenação eterna se alguma vez tiver havido qualquer contrato ou promessa de casamento entre mim e ela”, declarou ele, e, em seguida, comungou. Aquela época desesperada era muito diferente dos dias despreocupados do início da década de 1520; o namoro com uma bonita dama de honra, acompanhado, talvez, de uma promessa de casamento, poderia ser visto sob uma luz muito mais alarmante.

O casamento triste de Henry Percy e Lady Mary Talbot não deixou descendentes. Percy morreu um ano após a execução de Ana, e suas posses foram para a coroa, deixando sua mulher viúva e com uma renda muito baixa. Em seus dez anos como Duque, Percy desperdiçou seus bens, fez despesas com amigos e transferiu suas propriedades para outros indivíduos. Finalmente, seu legado foi herdado pelo seu sobrinho, Thomas Percy.

Terence Wilton como Henry Percy e Geneviève Bujold como Ana Bolena.

Terence Wilton como Henry Percy e Geneviève Bujold como Ana Bolena.

Mas até que ponto foi, de fato, o namoro de Percy com Ana Bolena? No que se referia a pré-contratos, a consumação sexual significava que um pré-contrato – ou noivado formal – adquiria a validade plena de um casamento. Por outro lado, beijos apaixonados, que levassem a abraços ainda mais apaixonados, levando a algo que hoje é chamado de preliminares amorosas e parando por aí, significava que não havia tal compromisso. Em um mundo daqueles, a virgindade técnica podia tornar-se um caso importante, mesmo muito depois do acontecimento. No entanto, nada podia ser mais difícil de provar; especialmente em vista daquela proximidade de jovens homens e mulheres, nenhum dos quais supervisionado ou vigiado como tinha sido uma princesa real espanhola como Catarina de Aragão. A menos que uma gravidez decidisse o caso, era impossível ter certeza absoluta sobre esse assunto extremamente íntimo. Como resultado, as pessoas juravam o que lhes interessasse no presente, não importando o que tivesse acontecido de verdade no passado.

Ana Bolena não ficou grávida de lorde Percy e, fazendo-se um balanço das probabilidades, não consumou por completo a relação entre eles. Mas talvez tenha avançado muito naquela direção,e se ouve ou não algum tipo de promessa, não houve nada oficial. Por isso, qualquer que tenha sido a verdade sobre suas intimidades, o relacionamento com Percy deve nos fazer imaginar Ana Bolena como uma jovem de considerável decisão, segundo os padrões da época, e também de um certo grau útil de dissimulação. Também parece justo acrescentar a idéia de audácia às suas características conhecidas. Ela viu uma oportunidade e tentou aproveitá-la. Não estava contente com o destino que aparentemente a sociedade lhe atribuíra.

Bibliografia:
FRASER, Antonia. As Seis Mulheres de Henrique VIII. Tradução de Luiz Carlos Do Nascimento E Silva. 2ª edição. Rio de Janeiro: BestBolso, 2010.
El romance entre Ana Bolena y Henry Percy‘. Acesso em 23 abril de 2011.

Anúncios

Um comentário sobre “Ana Bolena e Henry Percy

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s