Catarina, a viúva virgem

Os meses foram-se passando sem grandes novidades. Catarina viu que seu dinheiro não era suficiente nem para pagar seus serviçais. E estava preocupada com o dote de Maria, pois não recebera nenhuma notícia sobre isso.
O rei da Inglaterra dizia que Catarina não tinha o direito a um terço da propriedade do seu falecido marido, já que a segunda metade de seu dote não fora paga. Ela precisava de vestidos novos, mas não havia dinheiro para comprá-los. Pensou então em empenhar suas pratas e jóias, avaliadas em trinta e cinco mil coroas. Mas não ousava fazer isso porque esses bens tinham vindo da Espanha como parte do dote.
O natal estava quase chegando. Fazia um ano inteiro que Catarina chegara à Inglaterra, se casara e ficara viúva; mas parecia que já estava prisioneira da casa de Durham havia muito tempo. Ela não participaria das comemorações de Natal na corte de Richmond, pois era uma viúva de luto. Além disso, o rei da Inglaterra queria que os soberanos espanhóis soubessem que ele não prestava homenagem à filha deles porque metade do dote ainda lhe era devida.
E nesse meio-tempo, a filha de Isabel e Fernando vivia na Inglaterra como uma princesa sem um só centavo, esposa mas não esposa, praticamente refém do bom comportamento dos seus pais.

Catarina, a viúva virgem

Depois de 14 livros contando a saga da dinastia Plantagenetas – dinastia que começou com Henrique II, em 1154, e extinguiu-se em 1485, com ascensão ao trono inglês do primeiro Tudor, Henrique VII – , a escritora Jean Plaidy narra a vida de uma das mais famosas mulheres da história: a infanta Catarina de Aragão. A filha mais nova de Fernando e Isabel, monarcas espanhóis, casa-se com Arthur, o príncipe de Gales, mas logo fica viúva, sem consumar o casamento. Por isso, recebe apenas meio dote e fica em posição delicada na corte inglesa, onde acaba obrigada a conviver com a pobreza. Seu destino parecia encerrrado entre as intrigas dos dois mais poderosos impérios de seu tempo, mas a perspectiva de se casar com um príncipe, o futuro rei Henrique VIII, pode salvá-la de sua sina e levá-la ao trono do mais rico reino do mundo.
Partindo da vida dessa personagem forte, a autora escreveu um livro empolgante no qual a história é matéria-prima para aventuras e emoções que a ficção pura e simples raras vezes consegue obter. Um grande romance histórico de uma da autoras mais populares do gênero em todos os tempos.

——————————————————————————————–——————–

Nome do Livro no Brasil: Catarina, a viúva virgem
Nome Original: Katherine, the virgin widow
Escrito por: Jean Plaidy
Publicado no Brasil em: 2001
Editora: Record
Nº de Páginas: 270

Anúncios

2 comentários sobre “Catarina, a viúva virgem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s