O relacionamento de Maria Bolena e Francisco I

Maria Bolena era a irmã mais velha de Ana Bolena, segunda esposa de Henrique VIII e rainha consorte da Inglaterra. Maria nasceu por volta de 1500, em Blicking Hall, sendo a primeira filha de Thomas Bolena e Elizabeth Howard. A infância de Maria é relativamente desconhecida, mas supõe-se que ela foi educada com as qualidades e habilidades necessárias para uma jovem mulher da época, e que foi criada na fé católica.

Em 1514, com a idade de 14 anos, Maria obteve uma posição como dama de companhia de Maria Tudor, que viria a se tornar a rainha da França. Maria viajou de Dover para a França como parte da comitiva da rainha, e provavelmente estava presente no seu casamento com o rei Luis XII. No entanto, o tempo de Maria como dama de companhia supostamente era curto, pois apenas alguns meses Luis XII morreu. Após a morte do rei francês, a Princesa Maria casou-se com Charles Brandon, Duque de Suffolk, antes de voltar para a Inglaterra. Há várias teorias sobre o paradeiro de Maria entre este momento e 1520, quando foi registrado que ela estava na Inglaterra. Alguns historiadores sugerem que Maria também voltou com Maria Tudor para a Inglaterra e tornou-se dama de companhia de Catarina de Aragão, enquanto outros propõem que Maria, assim como sua irmã Ana, ficou na França para servir a esposa do novo rei, a Rainha Claude. Em seu livro ‘Mary Boleyn: The Mistress of Kings’ Alison Weir propõe que Maria não estava na corte da Inglaterra e nem estava com Maria Tudor quando esta voltou para a Inglaterra. Weir sugere que o pai de Maria, Thomas, mandou-a para Brie-sous-Forges (conhecido hoje como Fontenay-les-Briss), uma propriedade do novo rei Francisco I. Na França, Maria poderia acabar com a sua educação e as necessidades de uma nobre dama.

É na França durante o final de 1514 ou início de 1515 que Maria Bolena supostamente ganhou a reputação de ser uma ‘grande prostitua’. Foi alegado que Maria tornou-se amante de Francisco I, o novo rei da França, e através desse caso ela ganhou a reputação de ser uma ‘grande devassa e égua inglesa’.

A evidência usada para afirmar que Maria Bolena tinha sido amante de Francisco I é uma carta escrita por Rodolfo Pio, Bispo de Faenza, em 10 de março de 1536. Em sua carta, ele escreveu que:

“Francisco também disse que eles estão cometendo mais loucuras do que nunca na Inglaterra, e estão dizendo e publicando todo o mal que podem contra o Papa e a Igreja, e aquela mulher que fingiu ter abortado um filho não estava realmente grávida, e para continuar fingindo, permitiu que ninguém ficasse junto com ela, a não ser sua irmã, a quem o rei francês conhece aqui na França ‘per una grandissima ribalda et infame sopre tutte.’ (como uma grande e infame prostituta, acima de tudo).

Ao olhar para esta carta, há algumas afirmações que precisam ser questionadas. Primeiro, como Maria poderia ter estado com sua irmã em 1536 se ela foi banida da corte em 1534 ao se atrever casar com seu segundo Maria, William Stafford, sem a permissão de seu pai ou a rainha e o rei? Seria extremamente improvável que Maria tivesse sido banida e depois voltasse à corte para ser banida de novo. Não há nenhuma menção a ela durante a queda e execução de Ana Bolena, que aconteceu menos de quatro meses após o aborto de Ana. Esta imprecisão lança uma sombra na autenticidade das palavras de Pio.

Em segundo lugar, Pio escreve que ‘aquela mulher que fingiu ter abortado um filho não estava realmente grávida’. Sabemos que Ana estava grávida em 29 de janeiro de 1536 e abortou um feto do sexo masculino que acreditava-se ter cerca de 3 meses. Mesmo Eustace Chapuys, o embaixador espanhol na Corte Inglesa, que tem uma bem conhecida antipatia por Ana Bolena, escreveu a Charles V sobre como Ana tinha fracassado a ter um herdeiro do sexo masculino. Pela segunda vez, uma carta de Pio provou-se ser imprecisa.

Em terceiro lugar, deve-se notar que a carta foi escrita 21 anos após a estadia de Maria na França. Muito pode acontecer ao longo de duas décadas. A relação entre a Inglaterra e a França estava boa e é claro a partir do tom desta carta que Francisco tinha pouca opinião sobre o que estava acontecendo na Inglaterra e com a rainha Ana Bolena. Pio era um católico fervoroso e poderia simplesmente estar tentando denegrir o nome de Maria e sua irmã Ana.

Retrato do século XIX de uma nobre Tudor, que acredita-se ser Ana Bolena, artista desconhecido.Outra evidência do relacionamento de Maria e o rei foi escrito por Nicholas Sanders, em seu livro ‘Rise and Growth of the English Schism’ em 1585:

‘Logo depois, ela apareceu na corte francesa, onde foi chamada de égua inglesa, por causa de seu comportamento vergonhoso e, então, mula real, quando teve contato com o rei da França’.

Neste caso, Sanders está se referindo a Ana, e não Maria. Sanders era um católico convicto e este livro foi escrito durante o reinado de Elizabeth I, quando a Inglaterra era considerada uma nação protestante. A Rainha Elizabeth era filha de Ana Bolena, e estas palavras foram obviamente escritas em uma tentativa não apenas de denegrir o nome de Ana Bolena, mas também para denegrir o nome da rainha Elizabeth.

Lord Herbert de Cherbury, em 1649, escreveu um livro intitulado ‘“Life and Raigne of King Henry the Eighth”, onde ele cita William Rastall, autor de uma biografia de Sir Thomas More, que escreveu que Ana Bolena foi enviada á França onde:

‘Ela se comportava tão licenciosamente, que ela era vulgarmente chamada de ‘Cavala da Inglaterra’, até se adotar da familiaridade do rei, onde ela foi chamada de sua mula’.

Mais uma vez, o escritor se refere a Ana Bolena e que Francisco I a montava como uma mula. William Rastall era católico e sobrinho de Thomas More, que foi decapitado por não apoiar a determinação de Henrique VIII em buscar a anulação do seu primeiro casamento para que pudesse se casar com Ana Bolena. Com a execução de seu tio amarrada em Ana Bolena, não é surpresa que estas palavras tenham sido escritas para desacreditar Ana e manchar sua memória. parece que ao longo dos anos estas palavras, infelizmente, se misturaram com Maria Bolena.

Philippa Jones, em seu livro Hackney “The Other Mistresses: Henry VIII’s Mistresses and Bastards”, escreve que:

‘Uma vez que estes comentários não são, obviamente, aplicáveis a Ana, foi assumido que eles deveriam se aplicar a Maria, quando, na verdade, eles foram escritos para desacreditar Ana e são em grande parte baseados em vulgares invenções, com o simples objetivo de prejudicar sua reputação’.

Miniatura feita por Lucas Horenboult que pode retratar tanto quanto Maria Bolena quanto Ana Bolena.Com apenas três evidências muito duvidosas, é difícil afirmar se Maria Bolena foi amante de Francisco I, e que ela era uma grande e infame prostituta. Em uma corte de moral duvidosa cujo rei regularmente se entretia com sexo, uma mulher teria que fazer algo verdadeiramente escandaloso para ser conhecida como uma infame prostituta. Outrossim, por mais de duas décadas nada foi escrito sobre o comportamento de Maria ou suas ações na corte francesa. Nós também temos que nos perguntar se Henrique VIII teria escolhido como amante uma mulher que tinha sido de Francisco I e que tinha uma reputação tão duvidosa.

Eu não estou dizendo que Maria Bolena definitivamente não teve uma relação sexual com o rei Francisco I, mas sim desafiando a suposição generalizada de que ela teve. A evidência é escassa quando se trata de Maria Bolena, seu paradeiro se perde em vários momentos de sua vida. Sanders e Rastall eram católicos, e, portanto, tendenciosos contra os Bolena. Não nos esqueceremos que foi Sanders que escreveu que Ana tinha um dente saliente, seis dedos uma verruga no queixo. Além disso, Sander estava no exílio durante o reinado de Elizabeth I, e seus escritos foram claramente baseados nas palavras de Rastall.

Traduzido do artigo ‘Mary Boleyn:
Mistress vs Myth
‘ escrito por Sarah Morris.

Anúncios

Um comentário sobre “O relacionamento de Maria Bolena e Francisco I

  1. São realmente muitas versões sobre Maria Bolena, é difícil ter um parametro do que é verdade, até porque já foi mencionado de que ela teria tido um filho com Henrique Vlll. E Ana Bolena monstra a irmã inconscientemente, quem pode ser a mulher e rainha ao lado de um rei, Henrique Vlll. É triste a história que as irmãs Bolenas viviam nas cortes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s