O relacionamento de Lady Jane Grey e Catarina Parr

Nine Days Queen fin by Gordon NapierJane Lady Grey, a filha mais velha do Duque e da Duquesa de Suffolk, nasceu em outubro de 1537, pouco tempo depois que seu primo, Eduardo VI. Jane passou a maior parte de sua infância na casa de sua família em Leicestershire, aprendendo grego, latim, francês e hebraico com seus tutores.

Quando fez nove anos, Jane foi enviada para a Corte de Catarina Parr, a sexta e última esposa de Henrique VIII. Era normal para uma pessoa de posição mais elevada ter uma educação longe de casa, e já que Jane Grey era nobre, a casa da rainha viúva seria um dos poucos lugares considerados adequados para ela.Catarina era uma figura materna para Jane do mesmo jeito que ela era para com suas primas Elizabeth, Maria e Eduardo. Conta-se que quando Jane passou a viver com Catarina Parr, esta deu o carinho maternal que Jane sempre foi privada, e seria ali que ela contraria a aceitação de seus dons intelectuais. Sua estadia com Catarina Parr teve mais importância do que um casamento real. Sob a orientação de Catarina, Jane encontrou sua educação e a fé protestante ainda mais moldadas pelas simpatias humanistas e protestantes de Catarina.

Infelizmente, pouco se sabe da relação de Jane com Catarina Parr, mas sabemos que Jane foi enlutada no funeral da Rainha. Isto poderia ser um sinal de que Jane e Catarina haviam se tornado próximas; por outro lado, poderia ser simplesmente que Jane foi escolhida porque ela era a senhora de mais alto escalão disponível em um curto prazo.

Há uma sugestão intrigante de uma estreita relação entre Catarina e Jane: o livro de orações que Jane levou para o cadafalso. Janel Muller, que publicou uma edição acadêmica dos escritos de Catarina, acredita que o livro de orações têm as letras da rainha e que, portanto, foi feito por ela mesma. Mueller acredita que o livro de orações foi dado como uma lembrança para a Rainha Jane, embora se fosse realmente de Catarina, é possível que Thomas Seymour tivesse dado o presente, uma vez que ele ficou com todos os bens de Catarina após sua morte.

É muitas vezes esquecido de que Jane era a protegida de Thomas Seymour, e não de Catarina Parr. De acordo com o depoimento do pai de Jane, Henrique Grey, Marquês de Dorset, Seymour aproximou-se dele logo após a morte de Henrique VIII, propondo que Jane fosse colocada aos seus cuidados, para que este promovesse um casamento dela com o jovem Eduardo VI. Dorset concordou com a proposta de Seymour, e Jane permaneceu na casa de Thomas até a morte da rainha.

No início de 1548, depois que o tutor de Elizabeth morreu, ela conseguiu fazer com que Roger Ascham fosse apontado como seu novo tutor. Pode ter sido nesse momento que Jane conheceu Ascham, que mais tarde visitaria-a em Bradgate anos mais tarde.

Susan James, um dos biógrafos de Catarina Parr, sugere que Jane permaneceu na casa de Thomas mesmo depois que o casamento dele com Catarina Parr tornou-se público, e que ela só se juntou a família depois que Lady Elizabeth saiu da casa em maio de 1548. Catarina Parr por  Kristina GehrmannEste pode ser o caso, pois não há nenhuma menção da presença de Jane nos relatos das bricadeiras sexualmente carregadas de Seymour com Elizabeth, logo depois que ele caiu em desgraça. Por outro lado, parece que mais provável que, uma vez que Seymour e Parr deixaram seu casamento público, que Jane teria gasto pelo menos algum tempo com Seymour, Catarina e Elizabeth em Chelsea e Hanworth.

Após a morte de Catarina, a solteira Jane de onze anos de idade foi enviada para seus pais decepcionados em Bradgate. Pouco tempo depois os irmãos Seymour seriam acusados e executados por traição, acabando com a promessa de casar Jane com Eduardo VI. A mãe de Jane começou então a negociar o casamento de Jane com o filho de John Dudley. Jane ficou alarmada com a hipótese de casar-se com alguém da família Dudley mas naquela época não havia muita chance de escolha. Ela se casaria com Guildford Dudley em 15 de maio de 1553.

Bibliografia:
HIGGINBOTHAM, Susan. ‘Jane Grey and Katherine Parr‘. Acesso em 19 de Junho de 2013.
DRURY, Amanda. ‘The Influences Lady Jane Encountered‘. Acesso em 19 de Junho de 2013.

Anúncios

4 comentários sobre “O relacionamento de Lady Jane Grey e Catarina Parr

  1. Tragédia para uma garota de 16 anos, jogada de um lado para outro, torna-se rainha por 9 dias e depois é executada. Mary Blood iniciava sua carreira com todo o fervor, não se importando com quem quer que fosse.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s