The White Queen – 5º Episódio

White Queen 5

Os Lancaster são restaurados no trono, com Warwick no controle. Mas os rumores de que Eduardo está voltando com um exército perturba a corte. Anne e Margarida de Anjou viajam para a França, incertas de que alcançaram Warwick em tempo de ganhar,  Famílias dividas enfrentam uns aos outros no campo de batalha. Poderia a bruxaria de Elizabeth salvar o seu marido, ou Wariwck triunfará? Com muitos mortos na batalha, o destino de todos mudará para sempre.

Pode ter sido as mudanças na localização nesses dois episódios – corredores claustrofóbicos, cabines de navios – mas de repente o período realmente parece medieval. É como se o novo diretor Jamie Payne (Doctor who) acrescentasse uma dimensão extra. Suas cenas novas no navio e no santuário são sombrias e atmosféricas. Há uma nova profundidade no estilo das coisas, ainda que roteiro ainda esteja no mesmo.

Anne Neville, que passou as semanas anteriores um tanto quanto em segundo plano, surgiu para ser assistida. Suas cenas no acampamento com a vilã Margarida de Anjou (a quem sempre aparece os pés e a capa primeiro) está em um agradável melodrama gótico Já a irmã de Ana foi quem serviu para nos explicar tudo de novo nesta semana. ‘Você é Lancaster. George é York. Anne é a minha inimiga e minha mãe está com ela. Mas eu estou por minha conta’.

Com o filho mais recente da rainha deposta (Rebecca Ferguson), Elizabeth, o rei deposto Eduaro IV (Max Irons) é capaz de reunir seus apoiantes Yorks contra o traidor Lord Warwick (James Frain) e a rainha lancaster, Margarida de Anjou (Veerle Baetens). Margaret de Beaumont (Amanda Hale) está triste com o nascimento do filho de Elizabeth, pois está convencida de que seu filho é que deveria governar. Henrique Tudor e seu tio Jasper decidem retornar para o País de Gales e se prepararem para a guerra. Margaret fica emocionada quando seu marido Sttaford também se prepara para a batalha, até que ele revela que não está lutando pelos Lancaster e sim pelos York e Eduardo, acreditando que esta é a única chance que eles terão de paz.

Elizabeth e Jacquetta fazem uma névoa, esperando que ela possa esconder o exército de Eduardo, dando-lhe o elemento surpresa que ele precisa para derrotar o exército de Warwick. Pela primeira vez temos uma noção de quão sangrenta foi esta guerra tumultuada e dilacerada pela discórdia dinástica. A mágica desempenhou o seu papel na morte de Warwick, é claro. Lamas, sangue, braços decepados e discursos de batalhas passam rapidamente, assim como espadas em abundância. Infelizmente, as cenas de batalha não tiraram a reputação de The White Queen como um pequeno e abafado teatro na noite de domingo.

Margarida de Anjou, seu filho Eduardo de Lancaster e sua esposa Anne finalmente chegam em Devon para socorrer Warwick – mas chegam muito tarde. Anne fica arrasada ao saber da morte de seu pai e que sua mãe o abandonou, fugindo para um santuário depois de ser declarada um traidor. Totalmente sozinha, Anne não tem escolha a não ser seguir Margaret e Eduardo.

A morte de Sir Henry Stafford, em decorrência dos ferimentos da batalha, também é muito emocionante. Ele é altruísta e fala gentilmente com sua esposa em seu leito de morte: ‘Pare de lutar para ser Margaret Regina. Basta ser Margaret… Faça o que te faz feliz’. O ingênuo marido aparentemente ainda não percebeu que ela não será feliz até que seu filho, Henrique, esteja no trono inglês.

De volta à Corte, Eduardo faz um retorno triunfal, ma mesmo com todos felizes com suas coroas douradas o problema ainda está por vir. Elizabeth, que começou o episódio com olhos arregalados e cabelos selvagens, escondendo seus numerosos filhos, nunca perdoará George por sua participação na morte de seu pai e irmão, e nem perdoará a si mesma pela morte do filho de Isabel.

Chega a ser difícil de acreditar que apena seis anos (e cinco episódios) antes, Eduardo e Elizabeth estavam em um encontro moralmente duvidoso sob um carvalho, ele foi destronado e reinterado, ela produziu um herdeiro, uma tempestade e, esta semana, uma tonelada de gelo seco místico.

Fontes: BBC, Den of Geek e Heroes and Heartbreakers

Anúncios

11 comentários sobre “The White Queen – 5º Episódio

  1. As coisas estão acontecendo tããõ rápido nessa série que o Eduardo vai acabar morrendo na primeira temporada.. Que sem graça =/

    • Eu não sei te dizer, porque a série é baseada nos livros e eu não todos. Eu acho que a série vai até o momento em que Henrique VII conquista o trono, ao derrotar Ricardo III na Batalha de Bosworth Field.

  2. Gostaria de assistir a TODOS episodios da The White Queen – onde posso assistir ou comprar ?

    Enviado via iPhone

  3. como é de se esperar na História , a morte do Kingmaker, e a volta do trono para os Yorks. se essa série se esticar vai ser um fracasso , talvez possam continuar mostrando a aliança de Lancaster e York com a união de Henrique Tudor e Elizabeth de York. Acho muito legal que Philippa Gregory fantasie um pouco ao colocar Elizabeth Woodville e sua mãe como bruxas. muito interessante

    • A história de Jacquetta e Elizabeth serem bruxas não é assim tão fantasiosa. Jacquetta foi, de fato, acusada de feitiçaria várias vezes em sua vida. Logo após a execução de seu marido, Thomas Wake, um seguidor de Warwick, acusou-a de bruxaria. Alegou-se que ela tinha feito dois bonecos, um representando a rainha e outro o rei, e que ela usava as imagens para enfeitiçá-los. Jacquetta foi inocentada das acusações pelo Conselho de Eduardo. Mais tarde, Ricardo III reviveu as acusações de bruxaria, afirmando que Elizabeth tinha casado com o rei por meio de bruxaria, mas nenhuma prova foi oferecida para apoiar suas afirmações. Lógico que, na série, elas são mostradas realmente como bruxas, mas na época nada foi provado.

  4. naquela época com a forte presença do medievo certas atitudes femininas eram vistas como algo pecaminoso e até mesmo bruxaria .. isso explica tais acusações que realmente Jacquetta sofreu. mas de fato a série é boa . eu adoro Ricardo (futuro Ricardo III ) *-*

  5. kkkkkkkkkkkkkk adorei o final!
    “Chega a ser difícil de acreditar que apena seis anos (e cinco episódios) antes, Eduardo e Elizabeth estavam em um encontro moralmente duvidoso sob um carvalho, ele foi destronado e reinterado, ela produziu um herdeiro, uma tempestade e, esta semana, uma tonelada de gelo seco místico.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s