The White Queen – 7º Episódio

The.White.Queen.S01E07

A ira de George em perder a herança de Warwick e seu fracasso em capturar aqueles que reivindicam a coroa têm consequências terríveis. Com a corte dividida, George acusa abertamente Elizabeth de bruxaria e Eduardo de assassinado. Isso é traição e Eduardo deve condenar seu irmão à morte. Elizabeth finalmente se vinga daqueles que mataram seu pai, mas isso não lhe traz nenhum conforto.

Durante este episódio Eduardo comemorou 15 anos de reinado, George mergulhou fatalmente em um barril de vinho e Ricardo começou a se transformar no vilão que conhecemos hoje. Era a história de George, ou melhor, o seu fim, que tomou precedência. Seus planos para assumir o trono foram frustradas e sua morte não comoveu o público (quem iria chorar por um canalha mal-humorado como ele?) mas sua mãe, Duquesa Cecily, chorou o suficiente sobre a iminente partida de seu menino.

O baile de máscaras foi o ponto alto não só do episódio, mas talvez de toda a série. Como uma nova era de teatro promovida pelo diretor Peter Greenaway, sátiros vestidos com folhas e de topless em volta do rei e da rainha vestidos, respectivamente (e incrivelmente) de leão e unicórnio. Como tantas vezes acontece em um baile, alguém bebeu demais e começou a falar besteiras na rainha. Neste caso, o alguém era George, mostrando um instinto extremamente pobre de auto-preservação.O rei marca o nascimento de seu novo herdeiro com uma orgia  com duas beldades da corte (uma delas é a encantadora Jane Shore [Emily Berrington], já mostrada entre os lençóis no último episódio), enquanto um mal-humorado George e um Ricardo impassível assistem.

34496Depois de sete semanas de batalhas sangrentas, o rei está se aproximando de sua meia-idade e, com ela, normalmente vem um corpo de meia-idade. Mas isso vem com a questão: como você transforma um ator bonitão de vinte e poucos anos em um rei gordo? A resposta da BBC é, aparentemente, um travesseiro. Qualquer um dos afinados espectadores desse episódio notaram que o rei estava consideravelmente mais redondo em sua cena de abertura, onde ele se bebia e ficava com as damas de companhia de sua mulher enquanto ela dava à luz a seu segundo filho. Mas, ao invés de parecer com um monarca corpulento, o rei se parecia mais com uma mulher grávida. O mais estranho disso foi a ‘barriga’ desaparecer nas cenas posteriores.

Anne começa a suspeitar que não foi a sua fortuna, nem o seu coração, que Ricardo estava procurando. Apesar de Anne ter dado à luz a um herdeiro (mais um Eduardo!), Ricardo se afastou de sua nova esposa. Ele volta para o Castelo de Warwick e traz com ele a mãe de Anne, lady Warwick, que tem sido prisioneira em uma abadia desde a morte de seu marido traidor. Anne está, compreensivelmente, furiosa com sua mãe, que a vendeu para se casar com um homem bruto, depois abandonada em um campo de batalha. Mas a Condessa não se casou com Lord Warwick sem aprender uma coisa ou duas sobre manipulação, e começa a plantar sementes de dúvidas sobre os motivos reais de Ricardo se casar com Anne.

Isabela também está tendo alguns momentos difíceis na inconsistência de sua caracterização – suas mudanças de humor, temperamento e credulidade são suficientes para deixar-nos tontos. Onde ela era esperada a ter um temperamento forte e até mal-humorada, neste episódio ela é toda carente e apegada à idéia de que um dia seu marido poderia amá-lá  – o que pode acontecer caso ela lhe dê um filho. Além disso, cada centímetro de pena que você poderia ter por Isabel é arruinada pela sua crença absoluta sobre o que os poderes mágicos e diabólicos de Elizabeth podem fazer a ela e a sua família. Mas ela não está sozinha nessa – todo mundo está culpado Elizabeth e sua magia neste episódio.

Então, o cachorro de George morre. Culpa de Elizabeth! Isabel morre, depois de ter um bebê (menino, apesar da chamada maldição colocada sobre ela). Culpa de Elizabeth! Em seguida, verifica-se que George conspirou com o rei da França para matar Eduardo e tomar seu trono, executando-o por fim. Culpa de ELizabeth! De modo que George morre como um traidor, o que significa que todas as suas terras serão perdidas e por isso a metade da fortuna de Warwick reverte para Eduardo, e não Anne e Ricardo. Culpa de Elizabeth!

O sensível e honrado irmão da rainha, Anthony (Ben Lamb) que sabiamente recusou-se a lutar na campanha abortada da França e depois recusou-se a ver o rei processando seu irmão por traição, é praticamente o único a ficar do lado de Elizabeth, o que significa que ele provavelmente não estará em boa posição no próximo episódio. Mary (Eve Ponsonby), irmã de Elizabeth, quer agora voltar para o marido que nem sabia que tinha, porque a vida na Corte ficou muito nojenta. Devemos presumir que tudo isso foi feito para podemos entender exatamente o inferno que Elizabeth está vivendo e como ela acaba tendo Margaret Beaufort como sua confidente.

Enquanto isso, Margaret, recentemente Sra. Stanley, está aguardando até que seu filho possa ser trazido de volta do exílio para reivindicar o trono, de modo que, desta vez, Margaret é obrigada a bancar a bozinha com seus inimigos e está odiando cada momento.

Este episódio está, mais que tudo, envolto na moralidade e na histeria em torno do medo da Arte das Trevas e aqueles que supostamente a praticam. Toda esta crença ilusória na magia de Elizabeth, e um feiticeiro que supostamente pode proteger outros contra ela (que mais tarde é executado por prever a morte do rei, considerado traição), é palpavelmente absurdo. Apesar da chamada Deusa Melusina e a magia que ela supostamente transmite aos seus descentes e Elizabeth claramente acreditando que é capaz de  atos sobrenaturais, ela nunca expressou tal crença para qualquer outra pessoa de sua família ou Corte, nem sequer realizou feitiços ou rituais abertamente. Mas, como estamos no fim da Idade Média, qualquer um acha que um rei só se casou com uma plebéia porque ela o enfeitiçou, caso contrário isso certamente seria impossível.

Fontes: BBC, Radio Times, Den of Geek e Heroes and Heartbreakers

Anúncios

4 comentários sobre “The White Queen – 7º Episódio

    • Olá! O Dvd da séria ainda não foi lançado porque ela ainda não acabou e, quando acabar, ainda demorará alguns meses para o lançamento do Dvd. A série está passando no canal BBC One no Reino Unido.

  1. Não entendo o q vem ocorrendo c os seriados de época britânicos. Sempre tiveram um naipe de ótimos atores de todas as faixas etárias. Desde os Tudor começou esse investimento demasiado em rostos jovens demais para os personagens, por vezes fracos de talento, o q descaracteriza a estória e termina em passagens ridículas como a descrita acima.

  2. kkkkkkkkkkkkkkk adorei a piada sobre o rei estar gordo!
    Uma coisa que me intrigou…Isabela morreu e depois o George foi condenado a morte, e ai sabemos que no ultimo episódio, Richard e Anne Neville morrem…com quem ficaram os sobrinhos? (filhos da Isabel e George)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s