Exposição ‘The Cheapside Hoard: London’s Lost Jewels’ no Museu de Londres

Em 1912, um grupo de trabalhadores estavam demolindo uma série de edifícios em Cheapside. A área, no século 17, era conhecida por ter uma série de lojas de jóias. Durante a escavação em uma velha casa que fora demolida – e que ficava apenas cinco minutos apé do Museu de Londres – foi encontrado o estoque de um ourives do século 17, um tesouro de quase 500 jóias Elisabetanas e Stuart. Os operários esconderam os tesouros em seus bolsos, lenços, bonés e levaram-os para um homem chamado Jack Stoney. Seu nome verdadeiro era GF Gordon e ele trabalhava no Museu de Londres como chefe de aquisições de peças e, além disso, ele era dono de uma loja de antiquários e penhores em Wandsworth. Gordon supervisionava qualquer  tipo de trabalho, fazia amizade com os trabalhadores, garantindo que eles trouxessem para ele qualquer vestígio de tesouros descobertos por um bom preço. Afirma-se que as jóias foram enroladas em uma massa de barro e depois lavadas lentamente, revelando brincos de brilhantes, colares, pingentes e muito mais. Ele vendeu as jóias por £ 1.000, uma fortuna na época.  Como muitos mistérios remanescentes sobre o tesouro, não se sabe o quanto Jack pagou aos trabalhadores, mas um contemporâneo registrou que os operários ficaram bêbados por meses. 

Embora  multidões tenham se formado para admirar as belas peças quando o Museu de Londres abriu, a coleção inteira nunca foi exibida. Pela primeira vez o Museu está reunindo todas as jóias, que serão exibidas ao lado de retratos raramente vistos e objetos históricos do acervo do Museu para destacar a moda e a cultura na capital durante as eras Tudor e Stuart. Tudo estará na exposição ‘The Cheapside Hoard: London’s Lost Jewels’  será de 11 de outubro de 2013 à 27 de abril de 2014. As entradas serão de £10 para adultos e £8 para crianças.

As escavações no local encontraram evidências de danos causados pelo Grande Incêndio de Londres, que data a coleção inestimável para antes de 1666, e acredita-se ter sido escondida cerca de 350 anos atrás. Pouco mais de um século depois dos tesouros elisabetanos ‘mais importantes do mundo’ terem sidos descobertos por acaso, os especialistas descobriram informações importantes que podem desvendar o mistério de quem os colocou lá e por quê.

Hazel Forsyth, curador da exposição ‘The Cheapside Hoard: London’s Lost Jewels’ diz que:

“A intriga em torno desta coleção é quem as enterrou, quando e por que foi enterrado e o quê isso significava (…). Há muito espaço para a pesquisa, e espero que a exposição provará ser um catalisados para lançá-los no cenário internacional, e obter estudiosos do mundo todo – de onde as pedras vieram – trabalhando nisso. Talvez teremos mais respostas para responder algumas das perguntas mais complicadas.’

Uma possibilidade é a Guerra Civil que começo em 1642. ‘Um grande número de ourives e joalheiros foram soldados e o comércio foi severamente afetado’, disse ele, acrescentando que muitos outros foram para o exterior. ‘É provável que eles enterraram as jóias abaixo do piso porque, simplesmente, era a coisa mais segura a se fazer.’

‘Algo deve ter acontecido para a pessoa que enterrou o tesouro, pois ele nunca mais voltou. (…) O tesouro também nos mostra as habilidades técnicas e estilos a corte que realmente não somos capazes de reproduzir hoje. Em parte pro causa do material de pedras que eles tinham disponíveis, mas também por causa dos anos de conhecimento e tradição’.

O museu elege a coleção como ‘a fonte mais importante do nosso conhecimento sobre joalheria moderna em todo o mundo’. O tesouro inclui anéis, colares, camafeus bizantinos, frascos de perfumes e jóias que mostram o papel de Londres no comércio internacional de pedras: esmeraldas da Colômbia, diamantes da Índia e pérolas de Bahrain. Mesmo com esta vasta coleção de jóias, Forsyth está convencido de que nem todas as peças encontradas chegaram à loja de penhores ou às mãos de Jack.

Entre os grandes rubis, pérolas, esmeraldas e safiras, foram encontradas algumas pedras falsas feitas de cristal de quartzo esculpido e tingido para se parecer com pedras preciosas. Forsyth acredita que estas podem ter sido obra de um joalheiro chamado Thomas Simpson, conhecido como um empresário. Acredita-se que Thomas pode ter sido implicado no assassinato de um joalheiro, que foi envenenado e jogado ao mar em uma viagem de volta do oriente, e que algumas das jóias desta infeliz vítima estava trazendo para Londres pode ter acabado no tesouro.

Fontes: I Love Nice Cards, The Guardian, The Independent, Mail Online e Museum of London

Anúncios

4 comentários sobre “Exposição ‘The Cheapside Hoard: London’s Lost Jewels’ no Museu de Londres

  1. Eu adoro o site de vcs!! Por um acaso vcs já pensaram em fazer outros sites, com outros temas como Maria Antonieta ou la belle epoque? Brigada!

    • Obrigada Andrezza, mas na verdade é ‘você’ e não ‘vocês’; somente uma pessoa administra o Boullan e esse é um dos motivos pelos quais eu não pretendo fazer nenhum outro site sobre outras pessoas ou épocas, eu simplesmente não teria tempo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s