A depilação das mulheres Tudor

Book Of Hours For Bourges UseEstamos muito acostumados a ver em todos os filmes e séries sobre a Era Tudor as mulheres completamente depiladas. Seriam estas cenas corretas? A resposta é sim: o Renascimento pode, de fato, ser chamado da ‘a era de ouro da depilação’. Durante essa época, a prática da remoção de pêlos floresceu.

A imagem à direita é um detalhe do ‘ Book Of Hours For Bourges Use’, datado de 1500 e feito na França. Embora feito no final da Idade Média e o início do período renascentista, a mulher ainda mantém as características consideradas desejáveis – pele pálida, seios pequenos, quadris generosas, testa alta e cabelo loiro.  Como é possível ver, muitos artistas do século XVI e XVII retrataram mulheres como tendo poucos ou nenhum pêlos.

No século XVI houve uma explosão de tratamentos para o rosto, propagados pela proliferação de livros de receitas domésticas – muitas vezes intitulados ‘books of secrets’ – livro dos segredos. Estes livros eram cheios de todos os tipos de receitas que poderiam ser úteis para a família, incluindo muitos que nós consideraríamos cosméticos. Juntamente com os conselhos de como criar a pele perfeita – receitas de um licor fácil e barato que pode ser ‘usado para manter sua pele lisa, macia e brilhante’, ou uma loção para’ remover qualquer tipo de cicatriz do rosto e manter a pele encantadora’; ou águas ‘para deixá-la com a aparência de vinte ou vinte e cinco anos’; há de fato conselhos sobre como remover os pêlos de todas as partes do corpo.

O interesse em cosméticos faciais foi, então, acompanhado por tratamentos de remoções de pêlos. Uma receita muito popular era uma feita a base de uma solução altamente alcalina que derretia o cabelo da superfície da pele. Há evidências de receitas para esta pasta – chamada de ‘rhusma’ sendo usada na Turquia Antiga em cerca de 3000 A.C., e em Trotula – um livro medieval de receitas muito popular que data o século 12, mas que foi reproduzido com frequência.

Retrato de uma mulher desconhecida. Artista desconhecido, 1575-80.Apesar de ser provável que muitas mulheres das cortes dos reis Tudor depilavam suas pernas, seria apenas nos tempos elisabetanos que as mulheres começariam a remover suas sobrancelhas e parte de seus cabelos para dar-lhes a impressão de uma testa maior, que era um grande traço de beleza na época. Outros países também aderiram a moda, mas a Igreja ficou extremamente infeliz com isso. No livro ‘Confessionale’, clérigos eram incentivados a fazerem perguntas aqueles que iam confessar:

‘Se ela arrancou o cabelo de seu pescoço, ou sobrancelhas ou barbas por lascívia ou agradar aos homens… Isso é um pecado mortal, a menos que ela fez isso para remediar uma desfiguração grave ou para não ser desprezada pelo marido.’

Muitos livros citam pequenas pinças feitas de liga de cobre ou prata como parte de conjuntos de higiene medievais. Uma vez que a prática da pinça no rosto e couro cabeludo era usado para conseguir uma aparência elegante, não é difícil de imaginar que mulheres também poderiam ter removido pelos indesejáveis na região pubiana.

Erasmo em sua obra ‘O Elogio da Loucura’, escrito em 1509, fala de uma velha que tenta comprar um amante mais jovem. O texto mostra claramente que era normal para uma mulher remover seus pêlos faciais:

‘Essas velhas cabras ainda fazem o amor e, quando encontram algum Faão, costumam remunerar generosamente a repugnância que causam. Então, mais do que nunca, se esmeram na pintura do rosto, passam a vida diante do espelho, arrancam fios brancos de barba, ostentam dois seios flácidos e enrugados, cantam com voz rouquenha e hesitante para despertar a lânguida concupiscência, bebem à grande, intrometem-se nas danças das moças, escrevem cartas amorosas (…)’

A presença de pêlos em mulheres podia ser uma representação visual do desequilíbrio humoral. De acordo com o sistema humoral, as mulheres eram frias e úmidas por natureza, ao contrário aos corpos quentes e secos masculinos, e o calor e a secura eram a fonte do cabelo corporal. Juan Huarte, um médico espanhol, escreveu no século XVI:

Ter um monte de pêlos no corpo e um pouco de barba é uma clara indicação de baixos níveis de frieza e umidade.. e se o cabelo é  escuro então os níveis de calor e secura estão ainda mais elevados. A temperatura oposta cria uma mulher que é lisa, sem barba ou pêlos pelo corpo. A mulher de níveis médios de frio e umidade tem pouco pêlos em seu corpo, mas é clara e loira. Claro, a mulher que tem muitos pêlos corporais e faciais (sendo de natureza mais quente e seca) é também inteligente, mas desagradável e argumentativo, muscular, feia, tem problemas de infertilidade e uma voz grave.

Ter muitos cabelos no corpo poderia, em suma, fazer com que uma mulher fosse pouco indicada a contrair matrimônio.  Muitas vezes, a remoção dos pêlos podia ser vista também apenas como um mero retorno ao equilíbrio de um corpo feminino, evitando o perigoso aspecto de uma mulher masculinizada.

Bibliografia:
BURKE, Jill. ‘Did renaissance women remove their body hair?‘. Acesso em 9 de Dezembro de 2013.
GILBERT, Rosalie. ‘Body hair Trends with medieval women’s body hair‘. Acesso em 9 de Dezembro de 2013.
ROTTERDAM, Erasmo. ‘Elogio da Loucura‘. Tradução de Paulo M. Oliveira. Acesso em 9 de Dezembro de 2013.

Anúncios

14 comentários sobre “A depilação das mulheres Tudor

  1. Mas fazendo uma pequena correção, no final da idade média, as mulheres já depilavam sombrancelhas e aumentavam a testa, pq quanto maior a testa, mais proxima do céu elas estariam… Tanto no periodo gotico e inicio da renascença era bem comum…

    • Nunca tinha lido sobre ‘estar mais próxima do céu’, até hoje o que li foi que a testa alta era uma característica de uma mulher bela, nunca li o porque disso, achei interessante a informação. Eu também li pouca coisa da beleza na idade média/final da idade média, mas até onde eu sabia foi apenas na época de Elizabeth que raspar as sobrancelhas e parte do cabelo para aparentar uma testa mais alta ganhou realmente popularidade ;)

      • Pois é, no fim fa Idade Media, no periodo gotico (seculos XIV e XV), tinha essa coisa de se elevar ao maximo, por isso os toucados e chapeus altos, o penteados estruturados altos, e as testas raspadas pra dar a impressão de estar mais proxima do céu. Durante o começo do renascimento, os chapeus e toucados foram diminuindo de altura, mas as testas continuavam sendo raspadas com até 10 cm de altura, e nisso as sobrancelhas tb eram raspadas… E os cabelos eram descoloridos com acido urico pra ficarem mais aloirados.

  2. Antes do renascimento as mulheres não se depilavam ou a prática apenas passou a aumentar depois?

    • A prática passou a aumentar no Renascimento, mas existem evidências de receitas para remoções de pêlos ‘sendo usada na Turquia Antiga em cerca de 3000 A.C., e em Trotula – um livro medieval de receitas muito popular que data o século 12’.

  3. Antes do Renascimento as mulheres e homens já eram vaidosos,já usam perfumes,
    sabonetes,escovavam os dentes,shampoos,depilações,etc.É tudo mentira esses mitos
    preconceituosos criados pelos iluministas do século 18.Havia banhos públicos e privados também.Quem quiser saber sobre isso acesse o site: limpo como na idade
    média. A falta de higiene e vaidade começa no século 16 e vai até o 19 por causa dos
    puritanos (calvinistas) quando querem impor a moral.Vcs podem descobrir isso no livro:
    politicamente incorreto da história do Brasil.

  4. Sempre que procuro algo na net sobre a era Turdor, caio no seu site. E adoro pois ele é simplesmente o mais completo em conteúdo sobre esse período que tanto me interesso! Parabéns!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s