Jonathan Rhys Meyers fala sobre sua interpretação de Henrique VIII e a série ‘The Tudors’

Jonathan Rhys Meyers como Henrique VIII na Primeira TemporadaJonathan Rhys Meyers interpretou Henrique VIII na série The Tudors, mas ele confessa tinha dúvidas sobre se uma série de época daria certo na TV a cabo. ‘Eles tinham uma moda muito, muito extraordinária, a estética era muito diferente do que estamos acostumados a usar no século 21. Vendê-la na TV a cabo nos Estados Unidos naquela época também foi um tiro no escuro, mas nós sabíamos que tínhamos uma história incrível. Sabíamos que tínhamos uma equipe de produção incrível atrás de nós. Todo mundo na Showtime foi extraordinário, e isso nos permitiu seremos muito, muito livres na nossa própria interpretação. Nós nunca iríamos pegar a História e tentar duplicá-la para um público moderno, isso nunca teria funcionado. Tivemos que interpretar em um modo um pouco mais rápido, tivemos que cortar as partes chatas da História. Há momentos muito, muito chatos, pedaços que não seriam interessantes para a televisão em horário nobre.’

‘[Henrique VIII] tinha muito a ensinar as pessoas. Ele tinha muito a ensinar a seu próprio povo, ele tinha muito a ensinar na História agora e sobre como as coisas são executadas, erros políticos, certamente muitos erros conjugais. Ele nunca deveria ter se divorciado de Catarina de Aragão. Ele teria salvado a si mesmo de uma série de problemas. Ele era um personagem muito interessante para se interpretar. Ele é muito rápido e muito exuberante, e em seus momentos mais silenciosos – ele é mais poderoso quando está em silêncio do que quando está gritando, mas quando grita – ele sabe que ser o chefe do estado era sobre estar no palco o tempo inteiro, era sobre enganar o público e fazê-los acreditar em qualquer coisa que você dissesse. Desse modo, quando ele tinha um grande casamento ou ele tinha um nascimento ou um batismo ou algo assim, ele fazia disso um evento político, de modo que tirava da vista das pessoas normais o que ele estava fazendo pessoalmente como um líder político e simplesmente se focavam na pantomima de Henrique. Ele fazia questão de que ele fosse não só fisicamente, mas também intelectualmente, superior. Ele seria o tipo de cara que enviaria seu assitente para verificar tudo que o cara que ele iria se encontrar em uma reunião de negócios estava fazendo. Ele sabia os hobbies das pessoas, o que suas mulheres faziam, o que seus filhos faziam. Qualquer coisa que ele pudesse usar a seu favor para fazê-los o que ele precisava que fizessem naquele momento.’

Jonathan Rhys Meyers como Henrique VIII na Segunda TemporadaDurante as temporadas, os figurinos de Henrique VIII ficam mais elaborados, mas o ator garante que elas não são difíceis de serem usadas. ‘Não, na verdade fica mais fácil. Na verdade, no final do dia, uma vez que você já fez uma temporrada no The Tudors, colocar essas roupas é como colocar uma calça jeans e uma camiseta. Estou tão acostumado a usá-las.’  Ao assistir a série, fica fácil de se envolver com as roupas, o modo que se comportavam e falavam naquela época, mas o ator deixa claro sua opinião:

‘É tudo uma fantasia. Se fizéssemos tudo que Henrique fez, não poderia ser na TV, porque seria muito chato. Henrique passava três ou quatro horas em cerimônias todas as manhãs somente tomando seu café da manhã e indo ao banheiro. E lembre-se, Henrique VIII foi o primeiro rei a colocar uma banheira em seu castelo. Eles não eram pessoas muito limpas. Pode parecer fabuloso em uma televisão de 68 polegas e alta definição mas, na realidade, era uma época fedida, suja e sifílica.’

Muitos encontraram inconsistências entre a História e o rei de The Tudors, diferenças como a idade, a cor do cabelo e até mesmo os fatos históricos, mas Rhys Meyers não sente necessidade de pedir desculpas.

Queríamos fazer algo que tivesse o pano de fundo histórico deste fascinante período, mas nós também estamos fazendo televisão e temos que ser divertidos, então tivemos que mexer com a história um pouco’, ele entoa.’ Quando eu disse a eles que iria fazer a série, eu disse: ‘Olha, se vocês estão procurando por um cara que vai ficar com duzentos quilos, eu realmente não sou esse cara’, ele continua.  ‘Eu poderia ter tingido o cabelo de vermelho, ganhado peso extra ou usado próteses. Mas, então, o papel se tornaria algo já feito por outros atores. Espero que eu tenha feito o meu Henrique VIII’, explica o ator.

Uma das inconsistências históricas da série foi a diferença de idade entre os atores e os personagens interpretados. ‘Bom, a corte de Henrique era uma corte incrivelmente jovem. Você sabe, quando as pessas subiam ao trono com 11, 12 anos de idade. No momento em que nós vemos os jovens com 28, 29 anos, eles não viam como jovens. Você era um homem totalmente crescido naquele ponto. A maioria das pessoas morriam quando tinham 50 anos. Assim, nos seus trinta anos, você estava na meia-idade. Então eu acho que todo o conceito de jovem mudou na História. Agora nós vivemos muito mais tempo e vemos pessoas de 28, 29 anos como jovens. Eles não.

Além disso, existe o tipo de – Richard Burton, o [Robert] Laughton, o Keith Michell, que já foi feito. E, você sabe, nós não queríamos fazer algo que já tinha sido feito. Queríamos dar-lhe uma vibração, uma impetuosidade juvenil, uma energia. Queríamos que os personagens fossem atléticos, inexperientes, e muito, muito vibrantes e voláteis. Porque há um longo caminho para se percorrer na história de Henrique. Na primeira temporada, ele ainda nem se casou com Ana Bolena. Ele tinha um longo, longo caminho a percorrer. Então, nós queríamos começar de um jeito jovem para que pudéssemos envelhecer conforme a sua idade.’

Jonathan Rhys Meyers como Henrique VIII na Terceira TemporadaPara o ator, não seria interessante copiar o que outros atores já tivessem feitos. ‘Eu poderia ter copiado o Richard Burton ou a performance de [Robert] Laughton ou do Keith Michell ou do Ray Winstone. Mas eu tinha que fazer a minha performance. É a minha interpretação, e não imitando alguém de Henrique. É a minha interpretação do que teria sido ter 29 anos, atlético e poder absoluto para fazer o que quiser.’

‘Na escola, eu estava inculcado com essa imagem do guloso, bêbado, mulherengo e rotundo monarca. Bem, ele era um tirano, um péssimo político, um homem religioso caduco que estava completamente sem contato com sua espiritualidade e, na época em que seu reinado acabou e passou por um período de grande confusão, eu tive que interpretá-lo do meu modo. Sempre que um novo poder entra ele muda a história de acordo com eles, então eu tenho a liberdade de reproduzí-lo como eu o vejo. Não existe ninguém na Terra que possa me dizer exatamente como Henrique era.’

De acordo com o ator, para produzir o seu ‘próprio’ Henrique VIII, ele baseou-se em si mesmo se tivesse poder absoluto com menos de trinta anos. ‘Eu não tenho a fisicalidade – de Henrique, entende? E então eu tive que fazer tudo internamente e trazer para fora, então eu tive que criar esse homem incrivelmente forte, poderoso, sem ter dois metros e cento e vinte quilos. Eu tinha que fazer seu intelecto maior do que qualquer outra pessoa. Eu tinha que fazer sua ambição maior do que a de qualquer outra pessoa. E eu tinha de fazê-lo o homem mais poderoso da corte.’

Sobre todos os seis casamentos de Henrique VIII, o ator explica o que ele acredita ser sua motivação: ‘Naquela época, era muito improvável que uma criança chegasse aos doze anos. Se elas chegassem aos doze, então tinha um uma chance muito boa de crescerem e virarem adultos, mas tinha muitas mortes no nascimento, tanto com a mãe quanto com a criança. Então Henrique estava sempre a procura de crianças. Mais importante, ele estava procurando por filhos. Filhos eram vistos como uma grande ferramenta. Meninas eram diferentes. Meninas você podia usar – eu suponho que eram peões, é a única maneira de dizer isso. Naquela época, elas eram usadas para benefício político. Se eu pudesse casar a minha filha Maria com a Espanha, então eu teria um aliado. Eles se tornariam meu sangue, se tornariam família. Se eu casasse ela com a França, seria a mesma coisa. Mas quando é Henrique, pensando em Henrique fazendo isso, ele realmente não pode dar Maria para a Espanha porque ele teria que se envolver na guerra contra os turcos. Então, se você compra uma família, você compra os problemas da família. Portanto, este é o lugar onde as filhas iriam, elas eram usadas como peões dessa maneira. Filhos, é claro, eram usados para a sucessão. O que ele queria era filhos, e é por isso que ele casou seis vezes.’

Jonathan Rhys Meyers como Henrique VIII na Quarta TemporadaQuando questionado sobre o fato de que Henrique VIII parecia ser muito inconstante com suas mulheres, Rhys Meyers replicou: ‘Não é apenas o caso dele ser inconstante. Você lê revistas em bancas de supermercado, e uma estrela de cinema está namorando essa pessoa e, em seguida, essa pessoa e então essa pessoa, e todo mundo fica ‘Por que eles pulam de um para outro?’ Porque eles podem! É simples assim. Eu não acho que ele era promíscuo. Eu acho que nós o tornamos promíscuo na série de TV porque é assim que você vende TV. Sexualidade vende e casos de amor vendem. Mas ele era um rei realmente modesto. Muito mais modesto do que você imagina. Mas quando você tem todo aquele poder absoluto, você sabe, às vezes você pode ser visto como um imbecil, mas isso é só porque tudo o que você faz é uma questão de estado. Portanto, não são realmente relacionamentos pessoais. Porque reis naquela época eram ordenados por Deus. Então você nem sequer é um ser humano. Henrique se esforça para ser humano o tempo todo, mas ele não tem permissão para ser humano. Ele é um monarca.’

Bibliografia:
BARNERT, Deanna. ‘Jonathan Rhys Meyers rules The Tudors‘. Acesso em 4 de Dezembro de 2013.
YUAN, Jada. ‘Playing King: Jonathan Rhys Meyers‘. Acesso em 4 de Dezembro de 2013.
FREEDMAN, Lisa. ‘The Hot Seat: Jonathan Rhys Meyers‘. Acesso em 4 de Dezembro de 2013.
DITTMAN, Earl. ‘Jonathan Rhys Meyers on why The Tudor’s Henry VIII isn’t hefty ‘. Acesso em 4 de Dezembro de 2013.
Jonathan Rhys Meyers Talks Tudors, Sex and Jealousy ‘. Acesso em 4 de Dezembro de 2013.
The Tudors star discusses his role on the Showtime series‘. Acesso em 4 de Dezembro de 2013.
Jonathan Rhys Meyers Is the King in The Tudors. Acesso em 4 de Dezembro de 2013.

Anúncios

8 comentários sobre “Jonathan Rhys Meyers fala sobre sua interpretação de Henrique VIII e a série ‘The Tudors’

  1. Se Henrique VIII fosse realmente o Jonathan Rhys Meyers, eu bem que gostaria de ter sido uma de suas consortes… não me importava nem de ser apenas um passatempo dele! kkkkkk Ô homem! Melhor que ele, somente o Henry Cavill.

    P.S.: Eu amo o blog, acompanho sempre, porque sou apaixonada pela Era Tudor!

  2. Gostei muito das observacoes dele… eh claro que tem coisas que sao feitas simplesmente pra vender na tv e que nem tudo aconteceu como realmente foi. A propria Ana Bolena, famosa pelo olhar, que nao eh nada azul e pelos seus cabelos escuros, que a Natalie Dormer disse que pintou de escuro pra interpretar o papel, mas a producao queria ela loira eh um exemplo da contradicao. Mas na minha opiniao, achei a serie fascinante e o papel do rei ruivo nao ruivo muito bem feito. :3

  3. Adorei essa entrevista! É igual a da Natalie Dormer sobre Ana Bolena, juntos eles conseguiram fazer essa série de sucesso por colocar a História de uma maneira que as pessoas de HOJE gostassem de ver! =D

    • Na verdade essa entrevista é uma junção de várias entrevistas. Eu intercalei alguns comentários e as falas dele para não parecer uma daquelas entrevistas com perguntas e respostas. Também tentei fazer ela parecida com a entrevista da Natalie que eu postei ano passado :)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s