As gravidezes de Elizabeth de York

As gravidezes de Elizabeth de York

Para acabar com a rivalidade entre as facções da Inglaterra, Henrique VII e Elizabeth de York se casaram em Janeiro de 1486. Henrique tinha quase 29 anos, e Elizabeth quase 20.Tal como a mãe Elizabeth Woodvile, Elizabeth estava destinada a ser uma fábrica de bebês. Em dezessete anos de casamento, deu ao marido pelo menos sete filhos registrados, e vários outros que não estão registrados e que podem ter sido natimortos.

Não muito tempo depois do casamento, Elizabeth viu-se grávida. Em um esforço para fortalecer a reivindicação Tudor ao trono e enfatizar a parte galesa de sua família, Henrique traçou a genealogia de sua família até os antigos governantes britânicos, e decidiu nomear seu filho primogênito em homenagem ao lendário Rei Artur. Artur Tudor, por volta de 1500. Artista Desconhecido.Nesta ocasião, Camelot foi identificado como sendo a atual Winchester, e Elizabeth de York foi enviada para o Priorado de São Swithun a fim de dar à luz lá. Em 20 de Setembro de 1486, por volta da uma da manhã, Artur Tudor nasceu. Sir Francis Bacon escreveu que, embora prematuro de um mês, Artur era ‘forte e capaz’. De acordo com David Starkey, Henrique estava tão determinado que seu filho nascesse em Winchester que a rainha teve que ser transportada por quase cem quilômetros, e teria sido por causa dos rigores da viagem Artur nasceu prematuro.

Não parece existir evidências que sugerem que Elizabeth fosse delicada antes de seu casamento, e seu primeiro parto parece ter sido simples. No entanto, ela sofreu de uma febre depois do parto, e só conseguiria engravidar três anos depois. Sua vida não corria perigo, mas ela teve que ser carregada na sua ida à Igreja para agradecer pelo nascimento do filho. Talvez o casal estivesse sendo cauteloso em relação à sua saúde ou a demora se deve por causa das complicações.

Margaret Tudor, por Daniël Mijtens.Em março de 1489 a rainha estava grávida novamente, e em 29 de Novembro ela deu à luz a uma menina, Margaret, no Palácio de Westminster. No entanto, é improvável que Henrique tivesse ficado decepcionado com uma filha e não um filho: mulheres eram importantes peões políticos em um mundo onde a diplomacia e o casamento estavam intimamente interligados. Antes mesmo de completar seis anos, Henrique já estava pensando em um casamento de Margaret e o rei James IV como uma forma de acabar com Perkin Warbeck, um escoceses pretendente ao trono da Inglaterra. Margaret de fato se casaria com James, dezesseis anos mais velho do que ela, em 1503, aos quatorze anos.

Henrique Tudor, em 1509, por artista desconhecido.Dezoito meses após o nascimento de Margaret, nasceu Henrique Tudor, no Palácio de Greenwich, em 28 de Junho de 1491. Henrique provavelmente dividia o berçário real com sua irmã de dois anos, pois seu irmão, Artur, era criado em outro lugar. Qualquer filho ou filha que viesse para a nova dinastia depois do casal seria algo como um bônus: sem dúvida, o rei e a rainha deram um suspiro de alívio ao ver o sexo da criança, mas uma vez que eles já tinha um herdeiro, Henrique não era nada mais do que uma peça de reposição e negociação.

No ano seguinte, em 2 de Julho de 1492, Elizabeth de York daria à luz a sua segunda filha, Elizabeth. Ela nasceria no Palácio de Sheen, em Surrey, e passou grande parte de sua curta vida no berçário real de Eltham Palace, junto de seu irmão Henrique e sua irmã Margaret. Henrique estava propondo um casamento entre Elizabeth e o príncipe francês (futuro Francisco I), mas Elizabeth morreria em um sábado, 14 de setembro de 1495, depois de sofrer atrofia aos três anos e dois meses. A princesa foi a primeira dos quatro filhos de Henrique e Elizabeth a morrer prematuramente, e ambos foram muito afetados.  Muito cedo em sua vida, o futuro Henrique VIII já estava ciente da fragilidade e precariedade da vida – sem dúvida questões que o perseguiriam quado seus filhos nascessem.

Maria Tudor, artista desconhecido.Seis meses após a morte da princesa Elizabeth, a rainha deu à luz a Maria, no Palácio de Richmond, em 18 de março de 1496. Conhecida em sua juventude como uma das mais belas princesas da Europa, Maria casou-se, aos dezoito anos, com Luíx XII em 1514, de 52 anos.

Todos daquela época sabiam que, quanto mais filhos uma mulher tinha, maior o risco de sofrer alguma complicação no parto, e quanto mais velha, mais grave. No entanto, Elizabeth deu à luz a Edmund Tudor em 21 de Fevereiro de 1499, seu sexto filho. Erasmo e Thomas More o visitiram no berçário real no verão de 1499, e Edmund morreria aos 15 meses de causas desconhecidas, sendo sepultado na Abadia de Westminster.

Com duas filhas vivas e somente um herdeiro, o rei e a rainha esperavam desesperadamente por um outro menino para prender firmemente a linha de sucessão Tudor. A rainha tinha 36 anos, e o rei 45; e sua confiança em outra gravidez se mostrou certa. Ela tornou a conceber um mês após a morte de Artur, e deu à luz no início de fevereiro do ano seguinte.

Durante a noite de dois de Fevereiro de 1503, a rainha começou a sofrer de repente das dores do parto, e com a ajuda de sua parteira, deu à luz a uma filha filha, batizada de  Catarina, que seria a sétima e última criança de Elizabeth e Henrique. Ela nasceu na Torre de Londres e morreria oito dias depois; sua mãe não sobreviveria por muito tempo após sua morte. Ainda de luto por seu filho mais velho, Artur, que havia morrido pouco antes de ficar grávida, Elizabeth sucumbiu a uma infecção pós parto em 11 de Fevereiro de 1503, no seu trigésimo sétimo aniversário. Henrique VII tinha perdido sua gentil esposa, que lhe dera sete filhos em dezoito anos, e que agora apenas três sobreviviam: Margaret, Maria e Henrique.

Bibliografia:
LOADES, David. As Rainhas Tudor – o poder no feminino em Inglaterra (séculos XV – XVII). Tradução de Paulo Mendes. Portugal: Caleidoscópio, 2010.
The children of Henry and Elizabeth.’ Acesso em 08 de Abril de 2014.
Elizabeth of York, the Forthcoming Biography: Interview with Amy Licence‘. Acesso em 08 de Abril de 2014.
Elizabeth of York’s pregnancy with Arthur‘. Acesso em 08 de Abril de 2014.
Katherine Tudor‘. Acesso em 08 de Abril de 2014.
Edmund Tudor, Duke of Somerset‘. Acesso em 08 de Abril de 2014.
Elizabeth Tudor‘. Acesso em 08 de Abril de 2014.
Margaret Tudor’. Acesso em 08 de Abril de 2014.
Arthur, Prince of Wales‘. Acesso em 08 de Abril de 2014.

Anúncios

9 comentários sobre “As gravidezes de Elizabeth de York

    • Tanto quanto The Tudors rsrsrs. Eu não gostei muito não porque me irrito quando vejo algo que sei que não é verdade. Por isso amei Wolf Hall <3

        • Ah sim, o aneurin bernard. Mas foi por conta do ator viu. Eu achei incrível que ele exigiu que a morte do personagem fosse feita igual como acredita-se que tenha sido com base no esqueleto dele.

          • É que eu assisti apenas ao primeiro episódio de the white queen, e já comecei a achar defeitos, por isso perguntei, queria saber se vale a pena continuar assistindo…The Tudors eu gostei muito, meio que fiz vistas grossas para os erros na parte histórica, menos o figurino, esse eu não perdoei, foi muito vacilo da produção

  1. Sou apaixonada por Elizabeth de York desde que li sobre ela em 1975. Maior do que essa, só a paixão por Henrique VIII, que começou quando eu tinha 14 anos, em 1956, no colégio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s