14 de Maio de 1536: Jane Seymour recebe novos alojamentos

O dia 14 de maio de 1536 foi o segundo domingo que Ana Bolena passava como prisioneira na Torre de Londres, e era o décimo segundo dia em que o sacramento tinha sido trazido para seus aposentos, tal como ela havia solicitado. Ana Bolena passou o dia selecionando qual roupa ela vestiria para seus julgamento.

No mesmo dia em que sua esposa estava selecionando uma roupa para seu julgamento, o rei Henrique VIII deixou Hampton Court e mudou-se para seus aposentos no Palácio em Whitehall. No início da tarde, Jane Seymour e sua comitiva foram recebidos pelo comandante dos cavalos do Rei, Sir Nicholas Carew, e o controlador da casa real, Sir William Paulet.

Os Seymour tinham sido mantidos a sete milhas do Tâmisa, na casa de Carew, em Surrey desde que as acusações da rainha tinham começado a quase duas semanas. Mas agora eles estavam se mudando,  ‘em esplendor quase régio’, para uma luxuosa mansão em Chelsea, a apenas uma milha de Whitehall. Com 27 hectares de terreno, que incluiam um pomar, um salão de 70 pés com vista sobre o rio, uma capela ricamente decorada e uma biblioteca bem abastecida. A mansão tinha sido a casa de Sir Thomas More, executado no ano anterior pelas ordens do rei. Na residência agora estavam os dezenas de servidores privados do Rei, juntos com Jane Seymour, seus pais, Sir John e Lady Margaret, sua irmã viúva Lady Elizabeth Ughtres, sua irmã mais nova, Dorothy, sua cunhada grávida, Lady Anne Seymour, e mais alguns empregados. Naquele lugar, Sir Francis Bryan mantinha-a em contato com a realização da vontade do rei – ou seja, a condenação e execução de sua esposa.

Chapuys, o Embaixador Imperial, escreveu sobre o dia 14 de Maio, onde ele refere-se a Jane Seymour como ‘Srt. Semel’:

‘No dia anterior à condenação da putain ele enviou a Srt. Semel para o Grande Esquire e alguns outros, e fez ela ficar a uma milha de seu alojamento, onde ela está esplendidamente servida pelo cozinheiro do Rei e outro oficiais. Ela está mais ricamente vestida.’

Seus ricos vestidos, seus novos servidores reais, sua proximidade com o rei e os vários presentes que tinha ganhado sugerem que ela já estava sendo tratada como uma futura rainha – assim como Ana Bolena antes dela, Jane estava prestes a preencher uma posição que ainda estava ocupada. Anteriormente,  o rei mantivera uma distância de Jane, não querendo dar mais forças às fofocas que diziam que Ana Bolena estava sendo substituída. No entanto, agora não havia mais dúvidas quanto aos planos de Henrique VIII para Jane Seymour – mas para fazê-la sua nova esposa, ele deveria se livrar de sua atual esposa.

Agora como uma mulher comum como Jane Seymour saiu de dama de companhia para Rainha da Inglaterra continua sendo um mistério para alguns historiadores. Em 1972, Maria Louise Bruce descreveu Jane como ‘uma das mulheres menos notáveis a ter um papel na história’, ao passo que David Starkey foi ainda mais longe descrevendo-a como ‘uma mulher sem família, sem beleza, nenhum talento e talvez não muita reputação’. Até mesmo seus contemporâneos tinham pouca opinião dela. O embaixador espanhol observou que:

‘ninguém acha que ela tem alguma beleza. Sua pele é tão branca que poderia ser chamado de pálido doentio… Ela não é uma mulher de grande intelecto e diz-se que, em privado, ela é bastante orgulhosa e arrogante’.

Então como essa mulher atraiu o homem que tinha se casado com Catarina de Aragão e Ana Bolena? A resposta parece ser um pouco óbvia:  Jane Seymour era banal, e este era o motivo. Sua pura simplicidade foi a razão para seu sucesso extraordinário. No filme ‘The Private Life of Henry VIII’, o rei ironiza: ‘Minha primeira mulher era inteligente, a segunda era ambiciosa. Se você quer ser feliz, case-se com uma mulher estúpida!”. Jane Seymour pode não ter sido exatamente estúpida, mas a citação captura um momento importante: em meados de 1536, Henrique, de meia-idade, queria uma paz doméstica, e Jane Seymour era tudo o que Ana Bolena não fora: ela era quieta, reservada, humilde, disposta a fazer o que lhe pedissem sem fazer perguntas ou dar más resposta. Ela era exatamente o que Henrique VIII estava procurando para ser sua nova esposa.

Bibliografia:
MORRIS, Sarah. ‘Anne Boleyn: From Queen to History – May 14th 1536: Jane Seymour Moves In‘. Acesso em 22 de Fevereiro de 2014.
RUSSEL, Gareth. ‘May 14th, 1536: Mistress Seymour’s new lodgings‘. Acesso em 22 de Fevereiro de 2014.
FRASER, Antonia. As Seis Mulheres de Henrique VIII. Tradução de Luiz Carlos do Nascimento e Silva – 2º Edição – Rio de Janeiro: BestBolso, 2010.

Anúncios

2 comentários sobre “14 de Maio de 1536: Jane Seymour recebe novos alojamentos

  1. Triste fim da Ana Bolena……humilhada e decaptada……e a pobre Catarina de Aragao humilhada e presa na torre…..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s