Pratos curiosos da cozinha Tudor

pratos

Os Tudor eram amante das aves. Sempre interessados em ostentar, os chefs Tudor muitas vezes serviam pavões revestidos com suas próprias penas, cisnes assados com uma pequena coroa em sua cabeça. Seus múltiplos assados de aves poderia incluir uma dúzia de pássaros, cada um recheado dentro do outro. Mesmo o humilde frango era tratado com alarde, muitas vezes ‘dourado’ com folhas de ouro, ou mais comumente, açafrão coberto com manteiga. Uma receita incluía matar o frango, fazer um corte na parte de trás de seu pescoço e, em seguida, inflá-lo como um balão para separar a pele de carne, recheá-lo e assá-lo lentamente. As aves mais comuns consumidas na corte eram melros, galinholas, perdizes, cotovias e pardais cozidos, todos considerados iguarias.

Além das aves assadas com apresentações luxuosas, livros de culinária da época entravam em muitos detalhes sobre como fazer pratos elaborados. Uma receita descreve como abrir o estômago do porco, enchê-lo com carne de porco moída e especiarias, depois ‘vestí-lo’ com amendôas para que parecesse um ouriço. Apesar do demorado e caro processo de fazer geléia, registros sobrevivem de geléias fantásticas em formas de castelos e animais.

vegetaisCatarina de Aragão gostava muito de alface, tendo crescido com ele na Espanha, mas os ingleses ainda eram desconfiados sobre comer legumes crus. Seus ‘sallets’, que era o nome para qualquer tipo de prato com vegetais, eram sempre servidos bem cozidos, regados generosamente com vinagre e, bizarramente, com açúcar. Mas os ingleses tinham razão em desconfiar das folhas verdes: Guildford Dudley, marido de Lady Jane, adoeceu, juntamente com vários outros, depois de comer uma salada na casa de seu pai. O cozinheiro foi acusado de ‘arrancar uma folha atrás da outra’.

Até mesmo o leite batido com vinho e açúcar tinham seu método de fabricação e consumo peculiares. O leite adocicado era feito “sob a vaca”, sendo a vaca ordenhada diretamente em uma bacia contendo uma mistura de açúcar, temperos e vinho.pote Isso produzia uma bebida espumosa. A bebida era consumida em uma panela especial, semelhante ao pote à direita, com duas alças e um bico. O vinho era bebido através do bico e o creme era comido com a colher.

Uma banquete do século 16 significava uma de duas coisas: o que nós consideramos um banquete hoje, ou seja, um grande jantar, ou uma sobremesa que consistia em muitos alimentos de luxo, às vezes comido em uma casa de banquetes especialmente construídos. Alguns alegava que banquetes eram sórdidos, com seus menus concebidos para despertar o desejo. Os alimentos considerados afrodisíacos eram, naturalmente, um pouco diferente das noções modernas; e o vinho estava no topo da lista, enquanto moralistas também consideravam anis, pinhões, marmelada e frutas secas com desconfiança. papsCom isso em mente, a introdução da ‘Spannish Paps’ em banquetes estava de acordo com o espírito da coisa: eram uma simples sobremesa de creme de leite adoçado, com um pouco de manjar branco, muitas vezes aromatizado com água de rosas. Mas a palavra ‘paps’ significava seios, e eles eram servidos de forma a representarem seu xará.

Bibliografia:
‘The Supersizers Go… Elizabethan’. Acesso em 21 de Maio de 2014.
HUGHES, Olga. ‘Curious Morsels from a Tudor Kitchen’. Acesso em 21 de Maio de 2014.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s