A francesa Ana Bolena

Wives of Henry VIIIO tempo que Ana Bolena ficou na França e nos Países Baixos tende a ter pouca atenção dos historiadores – é como um prelúdio necessário, mas sem o brilho do verdadeiro drama de sua vida. Aqueles livros que passam nas cortes de Margaret da Áustria e a Claude, a rainha francesa, o fazem a fim de enfatizar as importantes lições que Ana aprendeu lá: como cortejar os homens, a nova religião, danças sedutoras e diversas outras coisas.

O que dificilmente é mostrado é o francês. Em muitos livros antigos, ou novos baseados em fontes mais antigas, Ana tem uma governanta francesa chamada Simonette que lhe ensina a língua quando criança, de modo que ela já está fluente quando chega no país. Entretanto, tal pessoa parece ser completamente fictícia, de modo que é mais provável que Ana tenha ido para a frança com doze ou treze anos (ou, para os livros mais tradicionalistas, com cerca de sete anos) não só para aprender novas maneiras, mas para aprender uma nova língua politicamente valiosa. E ela aprendeu: em seu retorno á Inglaterra, ela foi descrita como sendo parecida mais como uma francesa do que uma inglesa, e existem várias indicações de que ela ficou assim até o fim de sua vida.

Inglês não era a língua esperada que pessoas conhecessem no estrangeiro e, independente da idade de Ana Bolena quando foi para o estrangeiro, viver em total imersão francesa durante nove anos traz uma boa chance de que não só ela tenha aprendido um francês perfeito, mas que também tenha perdido uma parte considerável, se não todo, de seu conhecimento do inglês. Independente disso, Ana parece ter falado inglês e francês com facilidade – uma série de cartas que Henrique VIII lhe escreveu são em francês, e é perfeitamente crível que ela pensasse em francês com frequência.

O bilinguismo de Ana jamais poderá ser realisticamente retratado, tanto em adaptações cinematográficas quanto em livros, porque qualquer coisa seria praticamente inteligível para quem quer que não fosse fluente em ambas as línguas, especialmente se o livro for escrito na primeira pessoa.

Não parece haver quaisquer descrições contemporâneas da forma que Ana falava, mas sendo conhecida por seu estilo e maneiras francesas, é muito provavel que Ana tivesse um forte sotaque francês quando voltou para a Inglaterra. Muitos historiadores acreditam que o tempo que ela passou lá formou seu comportamento, estilos e maneirismo.

Traduzido do artigo “Anna de Bouillain: Anne Boleyn As French Speaker“.
Anúncios

8 comentários sobre “A francesa Ana Bolena

  1. Adoro em Wolf Hall,quando Ana dá ênfase no sotaque francês ao pronunciar o nome de Cromwell rs

  2. e o único comentário q fizeram acerca de Maria é que o rei Francês a chamava de minha égua inglesa…ela tbm deve ter ficado com um jeito francês e ter falado bem a língua tbm…

      • pois é…e ninguém faz comentários sobre a inteligência dela, ela tbm morou na França, deveria falar tão bem quanto Ana, ela só é conhecida pelas safadesas…kkkk

        • Sim, embora historiadores relatam que esses comentários se referiam a Ana e não Maria. Tem um post sobre isso no Boullan. Nesse caso, ela não teria sido amante de Francisco, apenas de Henrique. E não existem Registros que ela tenha tido amantes depois.

  3. É um mistério para mim que tendo tanta influência da católica França, ela ainda permanecesse (ou se convertessse) ao protestantismo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s