18 de Janeiro de 1510 – Henrique VIII surpreende Catarina de Aragão vestido de Robin Hood

Henry VIII and his Six Wives [1972]

No dia 18 de Janeiro de 1510, Henrique VIII e doze de seus homens se disfarçaram de bandidos, como Robin Hood e seus homens, e surpreenderam a Rainha Catarina de Aragão e suas damas. O cronista Edward Hall registrou esse evento, mostrando que a rainha e suas damas ficaram muito surpresa, e que isso tudo foi seguido de dança e entrenimentos corteses. Como mostra a história, o segundo rei Tudor adorava esta tradição da cavalariade se disfarçar.

A escolha do jovem e belo rei de se disfarçar de Robin Hood lança uma luz sobre sua personalidade, e como ele frequentemente partilhava da tradição de promover seus servos mais íntimos de acordo com o mérito, ao invés de seu nascimento. Wolsey, Cromwell, e até mesmo Ana Bolena podem servir de exemplo.

Tradicionalmente definido no final do século XII, durante o reinado de Ricardo Coraçã ode Leão, as histórias das façanhas do Robin Hood sobreviveram mais de 300 anos em baladas e canções. Centenas de registros e manuscritos atestam sua popularidade durante o final do século XV. Até o momento do nascimento de Henrique VIII, em 1491, uma ilustração foi criada como parte das festividades do Dia de Maio, sendo representado como o Rei de Maio.

O jovem rei adorava se fantasiar, e com o dinheiro cuidadosamente guardado por seu pai, Henrique esbanjava e adorava planejar disfarces elaborados junto de seu grupo de seletos cortesãos. Infelizmente para o rei e felizmente para seus cortesões, o rei era quase que indisfarçável, pois era muito mais alto do que a maioria dos homens do século XVI, sendo facilmente identificável durante as festividades. Mesm oassim, Henrique adorava a idéia de que seu verdadeiro eu estava temporariamente escondido através de sua máscara, e que ele poderia flertar anonimamente e ser admirado por seus méritos pessoais ao invés de seu nascimento.

Tal como acontece em muitas ocasiões de inversões de papéis sociais, a figura de Robin Hood por vezes era cooptada por aqueles que queriam causar problemas: o disfarce era libertador, e esta figura do folclore nascional representava um impulso mais obscuro – em 1492, a Câmara da Estrela registrou que alguns homens se vestiram como Robin Hood e seu grupo para agitar a cidade, enquanto em 1509 a cidade de Exter baniu a figura de Robin Hood, uma vez que esta incentivava o mau comprotamento.

O culto de Robin Hood ficou menos popular depois da Reforma, embora as histórias de sua façanha nunca tenha perdido o apelo. Enquanto Henrique envelhecia, seu herói da juventude parecia menos relevante, e o rei perdeu o interesse em dissimular sua identidade e decretar histórias de romance e cavalaria. Seu último disfarce popular seria em 1540, quando se disfarçou para surpreender sua nova esposa, Ana de Cleves. Diferentemente do que se esperava, Ana não o reconheceu, e Henrique ficou profundamente magoado.

Referências bibliográficas:
LICENCE, Amy. Robin Hood: Henry VIII’s hero in green tights.
RIDGWAY, Claire. 18 January 1510 – Henry VIII dresses up.

Anúncios

Um comentário sobre “18 de Janeiro de 1510 – Henrique VIII surpreende Catarina de Aragão vestido de Robin Hood

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s