O relacionamento entre Elizabeth de York e Catarina de Aragão

Catarina de Aragão e Elizabeth de York

Em 1497, durante as negociações para o casamento de Artur Tudor, filho de Henrique VII e Elizabeth de York, e Catarina de Aragão, filha de Isabela de Castela e Fernando de Aragão, começou a ficar claro os sentimentos de Elizabeth para com sua futura nora. Enquanto Henrique VII assegurava que o casamento entre seu filho e o de Isabela iria apenas continuar uma amizade já existente entre os monarcas, Elizabeth se regozijava de uma afinidade que faria com que Catarina fosse tida como uma filha sua.

Antes que Catarina fosse enviada para a Inglaterra, Elizabeth e Margaret Beaufort escreveram uma série de instruções sobre a vida na Inglaterra para Catarina: ela deveria aprender francês – a língua diplomática da Europa e aprender a beber vinho, pois a água na Inglaterra, como escrevera Elizabeth, não era potável. Logo, Elizabeth escrevia a Isabela para que a mantivesse informada da boa-saúde de Catarina.

Elizabeth esteve junto de Catarina nas celebrações de casamento, até que Catarina e Artur foram enviados para viverem juntos em Ludlow. Poucos meses depois, Artur morreu.

Apesar do luto que estava sentindo após a perda de seu filho, Elizabeth parecia preocupada com o estado de Catarina. Ela lhe enviou livros e arrumou seu transporte para a corte, onde ela poderia se recuperar de sua doença em relativo luxo, comparado ao que ela estava tendo em Ludlow. Ela deveria ser “removida sem perda de tempo daquele lugar insalúvel onde ela está”. A isso Elizabeth ordenou que uma escolta fosse providenciada para que Catarina fosse movida para Londres assim que se sentisse melhor, ainda providenciando uma liteira. John Coope, um dos empregados de Catarina, recebeu dinheiro para que tudo fosse coberto de veludo negro.

Nesse momento de luto, Catarina chegou na corte de Richmond, onde a Rainha recebeu-a com muita gentileza. Tanto é que Isabela contou a Ferdinando, o Duque de Estrada, que ela e seu marido, o Rei, não precisariam temer por sua filha pois onde estivessem o Rei Henrique e a Rainha Elizabeth não faltariam pai e mãe para sua filha. Depois de ficar um pouco na corte, foram oferecidas duas residências para Catarina: Durham House ou Croydon Palace. Ela escolheu Croydon. É possível que Catarina tenha sido enviada para viver lá porque Elizabeth já não estava se sentindo muito bem: 4 dias depois da partida de Catarina chegou um médico para ver a Rainha, e depois ela mandou outro para chegar Catarina, possivelmente atrás de sinais de uma possível gravidez.

Infelizmente a bondade que Catarina sentiu de sua sogra acabou abruptamente. Elizabeth morreu no mesmo ano, no dia de seu aniversário de 37 anos. A partir de 1503 até 1509, Catarina ficaria em um limbo social, dependendo do rei inglês para sua sustentação, lutando para manter a si mesma e sua equipe de damas e servos.

Bibliografia:
FRASER, Antonia. As Seis Mulheres de Henrique VIII. Tradução de Luiz Carlos do Nascimento e Silva – 2º Edição – Rio de Janeiro: BestBolso, 2010.
LICENSE, Amy. In Bed with the Tudors: From Elizabeth of York to Elizabeth I. Amberley Publishing Limited, 2013.
WEIR, Alison. Elizabeth of York: A Tudor Queen and Her World. Random House Publishing Group, 2013.

Anúncios

Um comentário sobre “O relacionamento entre Elizabeth de York e Catarina de Aragão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s