O Casamento de Henrique VIII e Ana de Cleves

ana

Ana de Cleves acordou cedo em 6 de Janeiro de 1540, permitindo ser ajudada por suas damas enquanto elas a preparavam para o dia mais importante da sua vida: o casamento com o rei da Inglaterra, Henrique VIII. Ana havia trago um magnífico enxoval de roupas e jóias com ela e, embora já tivesse usado muitas delas nos dias anteriores da cerimônia, ela guardara o melhor para o fim. Seus assistentes cuidadosamente vestiram-na com um rico vestido ao estilo holandês  ‘de tecido de ouro rico, bordado com flores e decorado com ‘grandes pérolas orientais’. O cabelo, longo e louro, estava solto e caía sob um diadema dourado, ‘preenchido por uma enorme pedra rodeada de ramos de rosmaninho’.

Henrique VIII também estava vestido ricamente para seu casamento, com uma roupa desenhada para combinar com a sua noiva, feita de tecido de ouro e bordado com flores de prata. Seu casaco, que era de cetim vermelho com diamantes, brilhava contra os ricos colares em seu pescoço. Henrique, que geralmente ia a seus casamentos com grandes esperanças para seu futuro, estava desanimado.

O Conde de Essex havia sido nomeado para acompanhar Ana até a Igreja, e ela esperava calmamente a chegada do rei com suas damas de companhia. Infelizmente, ele estava atrasado e Henrique, com desdém, enviou Cromwell em seu lugar. Cromwell certamente estava pouco entusiasmado em encontrar-se com a odiada noiva do rei, mas fez o que lhe foi ordenado, entregando Ana para o Conde de Essex assim que ele apareceu. Quando Cromwell voltou para perto do rei, ele exclamou:

‘Senhor, se não fosse para satisfazer o mundo e o meu reino, nada me arrastaria a fazer o que devo fazer hoje.’

Em seguida, o rei saiu do quarto, indo em direção à capela. Henrique chegou na galeria fora da capela por volta das 08:00 e parou para esperar Ana chegar. Respeitosamente, a noiva fez três vénias assim que viu Henrique na capela. O noivo, no entanto, estava ressentido e ‘com disposição nada agradável’. Ela, com ‘semblante mais recatado e comportamento triste’ permitiu que seu noivo levasse-a para dentro da Igreja, onde o arcebispo Cranmer solenizou a cerimônia. Declarada esposa do rei e Rainha da Inglaterra, o rei colocou um anel em seu dedo com os dizeres ‘Deus me proteja’. Após a cerimônia, o casal andou de mãos dadas e foram para a capela privada do rei, aonde ouviram a missa juntos. Depois, Lady Ana foi recebida formalmente em um pavilhão armado em Shooter’s Hill, por um grupo no qual se achava o Conde de Rutland, que iria ser seu camareiro-mor, com tinha sido de Jane Seymour. Eles, então, se separaram a fim de preparar-se para o fim do dia.

Em torno das nove da manhã, Henrique voltou a ver sua nova rainha, levando-a novamente à missa.Antes do encontro, Ana mudou de roupa, escolhendo um vestido que ‘se parecia com um casaco de homem’, com mandas longas e forradas. Ela usou o mesmo chapéu que havia usado dias antes – algo que foi notado por seus observadores. Com suas damas vestidas de forma semelhante, a rainha da Inglaterra mais uma vez foi para a Capela, acompanhada pelo rei. O casal então comeu junto, antes de se desfrutarem dos banquetes, mascaradas e outros entretenimentos à noite. Ana se comportou como uma rainha durante todo o dia de seu casamento, falando agradavelmente com seu marido através de um intérprete. Henrique se mostrava gentil e solícito com sua noiva.

Naquela noite, o casal foi cerimonialmente colocado na cama juntos, encontrando-se a sós pela primeira vez. Para Ana, que conhecia pouco inglês e era totalmente inexperiente, o momento deveria ser desconcertante. Henrique tentou fazer daquela noite uma noite de núpcias comum, no entanto, 'Once Upon a time... a stroll around the tudor garden' por Peter Jacksonele gostou de Ana nua ainda menos do que ele gostou ao vê-la com seus pesados e feios vestidos alemães. Em sua inspeção superficial do corpo de sua nova esposa, ele sentiu sua barrigas e seios ‘o que me feriu tanto o coração quando os senti que nem vontade nem coragem tive para avançar para outras coisas.’

Na manhã seguinte, Ana de Cleves acordou para seu primeiro dia como Rainha da Inglaterra. Mal sabia ela que, nos meses seguintes, Henrique tentaria de tudo para obter um novo divórcio.

Bibliografia:
NORTON, Elizabeth. ‘6 January 1540 – Wedding Bells‘. Acesso em 14 de Janeiro de 2014.
HUTCHINSON, Robert. ‘Os últimos dias de Henrique VIII’. Tradução de Gonçalo Praça. Portugal: Casa das Letras, 2010.
FRASER, Antonia. As Seis Mulheres de Henrique VIII. Tradução de Luiz Carlos Do Nascimento E Silva. Rio de Janeiro: BestBolso, 2010.

Anúncios

5 comentários sobre “O Casamento de Henrique VIII e Ana de Cleves

    • Talvez seja para quem consegue assistir uma série que se diz histórica mas que está cheia de erros históricos grotescos sem se distrair; eu não consigo! :p acho difícil aproveitar a série sendo que a cada episódio se mostra superior ao outro em ‘licenças poéticas’. O mesmo com o figurino, que só não perde agora para Reign!

    • Ai, nem me diga! Existem pelo menos dois vestidos diferentes que foram criados para documentários sobre Ana de Cleves, mas ninguém recriou o vestido de casamento :/

      • Pois é… Eu vou sair pesquisando enlouquecidamente como seria esse vestido e tentar reproduzi-lo em fanart…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s