Alison Weir fala sobre a popularidade moderna de Ana Bolena e seus perigos

Alison Weir, nascida em 1951, é uma escritora britânica que esperava se formar em história, mas abandonou os estudos depois de se desiludir com os métodos de ensino modernos. Teve dificuldades em publicar seus livros que eram considerados muito longos mas agora já está com 18 livros publicados de não-ficção e 7 livros de romance, todos sobre o período Tudor, que ela considera “o período mais dramático de nossa história, com personalidades vivas e fortes… O período Tudor é o primeiro que temos um rico registro visual, com o crescimento de retratos e registros detalhados sobre a vida privada de reis e rainhas. Essa foi uma era que testemunhou o crescimento da diplomacia e propagação da palavra impressa”. Esse vídeo é uma junção de quatro vídeos separados feitos em abril de 2012, onde Weir fala sobre o culto que tem sido desenvolvido sobre Ana e sua visão como uma mulher moderna.
Anúncios

O Campo do Pano de Ouro e a Arquitetura de Henrique VIII

Esse vídeo é uma combinação de três: primeiro, os historiadores Kent Rawlinson e Maria Howard falam um pouco sobre a relação de Henrique VIII com a arquitetura, e como isso culminou no evento Campo do Pano de Ouro. O vídeo seguinte é da Royal Armouries, em que mostra em detalhes a pintura do Campo do Pano de Ouro, feita por volta de 1545 por um pintor desconhecido – note que a cabeça de Henrique VIII foi re-pintada posteriormente para parecer mais velho e obeso, uma vez que ele ainda estava no ápice de sua juventude na época deste evento, aos 29 anos. O vídeo seguinte é do segundo episódio da primeira temporada da série The Tudors – embora eu tenha diversas ressalvas (como o fato de que o Delfim não foi realmente ao evento), foi a única adaptação que até hoje mostrou a grandiosidade deste evento – e seus famosos ‘castelos das ilusões’.

Helen Mirren dá aulas de atuação online – e uma delas é sobre Elizabeth I

Em sua primeira aula on-line, a atriz vencedora do Oscar Helen Mirren compartilha as técnicas que aprendeu ao longo de sua carreira internacional, que abrangem o palco, a tela e a televisão. Suas performances poderosas e versáteis lhe renderam inúmeros prêmios, incluindo o Oscar em 2007 por sua atuação em The Queen, um Tony Award em 2015 por sua atuação no The Audience, e quatro prêmios Emmy.

Em sua aula, Helen Mirren discutirá o dualismo que é essencial para seu método de atuação: a necessidade de dominar a técnica (ofício) e, em seguida, abandonar essa técnica para que sua imaginação possa assumir (arte). As lições incluem como quebrar um script, conduzir pesquisas para personagens reais e fictícios, abordar os aspectos mais “poéticos” do personagem, tomar decisões ponderadas sobre o traje e lidar com adereços de uma maneira que seja fiel ao seu personagem.

Enquanto ajuda você a desenvolver seu próprio talento de atuação, Helen irá levá-lo aos bastidores de seus maiores papéis, incluindo Elizabeth I. No vídeo promocional que pode ser visto no Youtube, Mirren mostra alguns dos trajes que utilizou.

As aulas de Mirren totalizam seis horas e custam U$180 dólares por ano no site Masterclass.

Lobas: As primeiras Rainhas da Inglaterra – Jane Grey, Maria e Elizabeth Tudor (2012, legendado)

“She Wolves” foi uma série de três episódios da BBC onde a historiadora Dra. Helen Castor explorava a vida de sete rainhas inglesas que desafiaram o poder do mundo Tudor e medieval, quando não havia dúvida na mente das pessoas sobre a ordem da criação de Deus: homens governavam e mulheres não. Apesar disso, algumas mulheres tentaram dominar a Inglaterra Tudor e Medieval, e Castor explora as reações ferozes que elas provocaram. Em relação ao período Tudor, Castor explora Jane Grey e Maria e Elizabeth Tudor: em 1553, pela primeira vez na história inglesa todos os pretendentes ao trono inglês eram mulheres.