Seis Esposas com Lucy Worsley – Episódio 3 de 3

Nesse quarto episódio, vemos rapidamente o casamento de Henrique com Ana de Cleves, Catarina Howard e Catarina Parr. Novamente, Lucy simplifica tanto as coisas que me irritam um pouco. Henrique não se separou de Ana simplesmente por ser chefe da Igreja – Ana era de fato compromissada com outra pessoa na Alemanha, e seus próprios conselheiros não foram capazes de encontrar o documento que provava que ela estava desimpedida para se casar com Henrique. Assim, baseando-se na não-consumação e nesse documento prévio de compromisso de Ana, Henrique separou-se dela. Mesmo para a época todo mundo ficou chocado com a diferença de idade de Henrique VIII e Catarina Howard – nem de longe foi visto como normal. De qualquer forma, a situação da carta que entregou Catarina é bem diferente – Thomas Cranmer encontrou-se com o Rei na Capela, onde lhe deu uma carta que ele deveria ler em particular, porque Cranmer não tinha coragem de contar o seu conteúdo (me pareceu, vendo a série, que foi algum fofoqueiro que colocou lá) – ainda, é mais esquisito que Lucy tenha falado a história ‘inteira’ de Catarina sem mencionar a infame Lady Rochford. Ainda, achei muito chato todo o comentário sobre o protestantismo de Catarina Parr quando nada foi mencionado sobre o protestantismo de Ana Bolena. Henrique também não ficou ‘horrizado’ com a idéia da Bíblia em inglês – de fato, o rei autorizou em 1539 a publicação da primeira bíblia em inglês e ele, inclusive, tinha ficado muito irritado que o projeto de tradução estava demorando muito – tanto é que em 1537, foi publicada uma versão ‘provisória’. Mais de 9 mil cópias da Bíblia foi impressa até 1541. O que aconteceu durante o período de casamento com Parr é que Henrique e seus conselheiros começaram a ‘repensar’ a idéia de que a Bíblia em inglês fosse lida por ‘todos’, querendo limitar a sua leitura apenas para algumas classes sociais. Nunca li nada relacionado à essa recepção negativa de Henrique VIII em relação à publicação de Catarina Parr ser heresia – o que teria sido considerado, sem dúvida, foi o livro “Lamentations of a Sinner”, publicado após a morte de Henrique, em que o tom protestante é muito mais forte. Henrique não só gostou do livro de sua esposa, mas se disse invejoso com seu sucesso; o mesmo digo sobre essa recepção horrível ao presente de Elizabeth – não existem registros da reação de Henrique a esse presente, nem registros de que Elizabeth tenha entregue pessoalmente. Também achei louco como Maria Tudor simplesmente some da ‘história’ – para quem queria mostrar uma ‘nova’ história das esposas de Henrique VIII, esse documentário (esse episódio em especial) me pareceu bem deficiente.

Anúncios

Six Wives with Lucy Worsley – Episódio 2 de 3

Neste segundo episódio da série ‘Six Wives with Lucy Worsley’, assistimos a morte de Catarina de Aragão, a subida e queda de Ana Bolena e, rapidamente, o casamento e morte de Jane Seymour. Este episódio tem erros bem menos pontuais do que o primeiro e o último episódio, como vocês verão. Ainda sim, achei muito complicado em uma era “pós-Wolf Hall” contar a história de Ana e Henrique sem nem mencionar Wolsey e Thomas Cromwell. Também acho interessante contextualizar que TODOS os casamentos do Rei foram discretos e com pouca cerimônia – desde com Catarina de Aragão até Catarina Parr. Achei bem curiosa a troca da jóia que Henrique VIII dá a Jane Seymour – historicamente (e seguido até na série The Tudors) Henrique dá a Jane um colar com seu retrato e não um bracelete. Também achei curioso ignorar a cena clássica de Jane devolvendo a bolsa de dinheiro que Henrique havia enviado a ela. Enfim, aproveitem! Se tudo der certo, publico o último episódio amanhã.

Seis Esposas com Lucy Worsley – Episódio 1 de 3

Como prometido, a série Six Wives With Lucy Worsley já pode ser vista (ou desvista haha) legendada. Exibida no ano passado, Lucy prometia contar a ‘verdadeira’ história das seis esposas – o que por si só já é uma premissa complicadíssima. Nesse episódio, Lucy conta grande parte da história de Catarina de Aragão.

Continuar lendo

Vestidos, sapatos e chapéus: trajes da Royal Shakespeare Company à venda

Durante esse final de semana, os compradores da Stratford-upon-avon, na Inglaterra, tiveram a oportunidade de fazer as compras na Royal Shakespeare Company, que realizou uma venda de 15 mil peças de figurino. Assim que a loja abriu, às 9h da manhã no sábado, uma fila já se formava nas ruas: os primeiros fãs chegaram às 17h do dia anterior e acamparam para garantir um lugar. Essa paciência foi recompensada quando os clientes puderam comprar belos vestidos de renda, asas de fadas e até trajes que engordam os atores e atrizes da companhia. Continuar lendo

Cartas trocadas entre Catarina Parr e o rei Henrique VIII

Catarina Parr casou-se com o rei Henrique VIII em 12 de julho de 1543, em Hampton Court. Henrique foi seu terceiro marido, e embora Catarina não estivesse apaixonada por ele, ela fez de tudo para que seu casamento fosse bem-sucedido. Ela era, em todos os aspectos, admiravelmente adequada para a tarefa, tendo experiência na gestão de maridos doentes e temperamentais. Ela era inteligente e comprometida, e participou plenamente na vida da Corte de Henrique VIII. Continuar lendo