O Natal no período Tudor (Especial Monastery Farm, legendado)

Já fazia um tempo que eu procurava por um vídeo sobre o Natal no período Tudor, e por acaso encontrei esse episódio especial da série Monastery Farm, que tem como objetivo aqui fazer um banquete dos 12 dias de Natal Tudor remontando o início do século XVI, ou seja, basicamente no reinado de Henrique VII. Eu nunca tinha assistido nenhum episódio dessa série, então fiquei um pouco chocada com as cenas de destrinchamento de animais. Com exceção disso (todas as cenas envolvendo o porco) tudo foi muito interessante, embora se estivermos pensando em aplicar isso na corte dos Tudor, tudo era muito mais luxoso, com mais pratos e mais decorações. Se pensarmos que verde e vermelho era a cor do Natal Tudor e a cor oficial dos Tudor era verde, vermelho e branco, então o Natal deles muito provavelmente lembraria um pouco o nosso.

~ Adorei as cenas da caça com falcão, embora não consiga pensar em costurar as pálpebras dos bichos como ‘gentileza’.
~ Embora a roupa dos ricos tenha se alterado muito durante a Dinastia Tudor, os ‘pobres’ continuaram a se vestir quase exatamente desse jeito até o final do reinado de Elizabeth I.
~ Uma pena que não destacaram que o dia de ano novo não era realmente ‘ano novo’. Apesar da passagem de Dezembro para Janeiro de um novo ano, os Tudor comemoravam o ano novo em 25 de Março, quando acontecia a Festa da Anunciação. Ainda, no período Tudor, não era comum dar e receber presentes no Natal: isso acontecia na festa da Anunciação.

Um banquete Tudor Elisabetano no Natal (Haddon Hall, 1590)

Em 2006 a mesma equipe que criou a série Monastery Farm fez o documentário “A Tudor Feast at Christmas”. No entanto, quando fui realmente assistir o documentário vi que nada tinha a ver com o Natal, e sim com a re-criação de um banquete Tudor-Elisabetano de 1590 na mansão de Haddon Hall. De qualquer forma, o banquete natalino tinha poucas coisas a mais do que um banquete comum, então decidi traduzir (a sincronização ficou por conta da Juliana Lima).

Como fazer uma decoração Tudor de Natal

Sabem aquele costume que vemos em filme de um casal se beijar debaixo do azevinho? Parte dessa tradição vêm do ‘Kissing Bough’, uma decoração natalina inglesa que remonta centenas de anos desde o início da Idade Média, quando era costume pendurar o enfeite como um símbolo da Santíssima Trindade. Ele não era usado apenas no Natal, pois era visto durante todo o ano como um símbolo de bênção celestinais – era aceitável que os membros da casa ou visitantes dessem um abraço como símbolo de boa vontade. Nesse vídeo, Fiona Tansey, jaardinante do Castelo de Kensilworth, nos ensina como fazer um ‘Kissing Bough’ no estilo Tudor.

A vida musical das esposas de Henrique VIII: Catarina Howard

O retrato do século XVI, Mary Magdalene Playing A Lute, mostra uma renascentista finamente vestida tocando alaúde e lendo a notação musical retratada com ela na pintura. A canção, em francês, é Jouissance Vous Donneray e foi composta por Claudin de Sermisy (1490-1562). O basse danse, Jouissance Vous Donneray, foi uma dança popular em muitas das cortes da Borgonha no norte da Europa, e também na Inglaterra. A pintura também alude à natureza dicotômica do envolvimento musical feminino no Renascimento. Por um lado, a imagem declara a beleza intrigante da mulher, mas, por outro lado, como o título sugere, a natureza sedutora da mulher é comparada à de Maria Madalena, uma prostituta bíblica. Continuar lendo

Música e Monarquia: Coroa e Coral (Thomas Tallis e William Byrd)

Em 2013, David Starkey lançou a série ‘Music & Monarchy’, contendo quatro episódios de 59 minutos que contariam a história da música britânica foi moldada pela monarquia. Neste primeiro episódio, ele começa com reis que também eram compositores – Henrique V e Henrique VIII – e a idade de ouro da música inglesa que eles presidiram. Como o foco de nosso canal são os Tudor, eu cortei quase os primeiro vinte minutos que falavam sobre Henrique V, pulando direto para Henrique VIII e os dois compositores mais famosos do períoto Tudor, Thomas Tallis e William Byrd.

As músicas foram gravadas especialmente pela King’s College Cambridge, o coral da Catedral de Canterbury e do Eton College.

A vida musical das esposas de Henrique VIII: Catarina de Aragão

Catarina de Aragão era sem dúvida uma das rainhas mais musicais para a se sentar no trono inglês. Ela era uma instrumentista talentosa, cantora ativa, dançarina graciosa, grande apreciadora e patrocinadora, tanto para a corte maior quanto para cultivar um círculo musical entre a pequena comunidade de suas damas presentes. Continuar lendo