O gentil William Carey e suas representações na literatura ficcional


Ana Bolena não teria necessariamente passado muito tempo com o seu cunhado, William Carey, e ele morreu alguns anos antes do que pode ser chamado da parte ‘principal’ da história da esposa mais retratada de Henrique VIII. Como resultado, suas aparições ficcionais – com a exceção óbvias dos romances centrados em Maria – são geralmente centrados em torno de seu casamento (muitas vezes ligada com a sua tolerância com o caso de Maria com o rei) e sua morte. Quando ao seu comportamento, é representado em grande parte como ele provavelmente teria desejado: gracioso. Continuar lendo

Apenas a realeza Tudor usava arminho?

No Castelo de Hever, a estátua de Maria Bolena usa mangas de arminho.

No Castelo de Hever, a estátua de Maria Bolena usa mangas de arminho.

Nos tempos renascentistas, o arminho era valorizado por sua pele branca e pura, com a ponta de sua calda preta. Segundo a lenda, o arminho, da família das doninhas, preferiria morrer a deixar que sua pelagem branca fosse suja, de forma que ele representava a pureza. O arminho era extremamente usado por Elizabeth I, e também era utilizado como um símbolo de status, uma vez que é amplamente divulgado que o arminho era restrito a realeza e a alta nobreza, sendo também o símbolo dos Duques da Bretanha. Mas será que realmente o arminho era restrito a essas pessoas? Continuar lendo

A questão da nova Abadessa de Wilton

A questão da nova Abadessa de Wilton, na primavera de 1528, mostrou que apesar de Henrique VIII estar loucamente apaixonado por Ana Bolena, ele ainda era o rei. Talvez tenha sido uma lição para Ana Bolena sobre os limites de seus domínios sobre Henrique VIII, embora isso tudo possa ser facilmente ignorado em vista da extravagante promessa do rei de elevá-la a Rainha.

Continuar lendo

Amigo, primo, irmão? Elizabeth Tudor e seu relacionamento com Henrique Carey

Henrique Carey, por Henry Bone em 1800.Henrique Carey, Lorde Hunsdon, nasceu em 4 de Março de 1526, filho de Maria Bolena e William Carey, que se casaram em 4 de Fevereiro de 1520. Maria era a filha mais velha de Thomas Bolena, 1º Barão de Wiltshire e Lady Elizabeth Howard, filha mais velha de Thomas Howard, 2º Duque de Norfolk. Maria era a irmã de Ana Bolena, a segunda esposa de Henrique VIII.

Maria Bolena tornou-se dama de companhia de Catarina de Aragão logo após casar-se com William Carey. Continuar lendo

O Casamento de Maria Bolena e William Carey

Retrato de uma mulher, c. 1630-70 por Remee Van Leemput. No dia 4 de Fevereiro de 1520, na Capela Real de Greenwich, Maria Bolena casou-se com Sir William Carey, um homem jovem e bonito, que se tornara cavaleiro da Câmara Privada. Existem poucos registros sobre o casamento, mas sabe-se que o rei Henrique VIII estava presente e deu ao casal 6s e 8d, o equivalente a cerca de R$500 em dinheiro atualmente. O presente foi sem dúvida bem-vindo, uma vez que William Carey era o filho mais novo de sua família e não tinha dinheiro nem terras.

Continuar lendo

Henrique VIII era pai dos filhos de Maria Bolena?

Maria Bolena

Muitos historiadores têm tentado descobrir se as crianças de Maria também eram filhos de Henrique VIII. Ninguém sabe quando exatamente o relacionamento de Maria com o rei começou e quando acabou. Pode-se apenas imaginar o tempo de seu romance.

Os encantos da senhora Carey podem ter desaparecido ou sido substituídos pelos os de sua irmã, mas há indicações de que Maria foi ‘devolvida’ ao seu marido em algum momento no verão de 1525. Seu filho, Henrique Carey, nasceu em 4 de março de 1526, e há sugestões de que ela voltou a dormir com William em algum momento em junho ou julho de 1525. De 1526 em diante Maria foi ofuscada por sua irmã Ana, e têm-se poucos vislumbres seus nos registros históricos. Poucos meses depois do nascimento de Henrique Maria concebeu, para o provável aborrecimento de William, uma filha chamada Catarina.

Continuar lendo