Ana Bolena e sua participação na coroação de Elizabeth I

As referências à Ana Bolena no reinado de sua filha, Elizabeth I, são escassas: não existe referências sobre falas da Rainha sobre sua mãe, mas um item de sua corta que sobreviveu mostra que ela era lembrada: em um guardanapo,é possível ver o brasão de armas de Ana Bolena junto do falcão coroado, seu emblema pessoal, junto da Rosa Tudor e da Cruz de São Jorge, dois emblemas da Dinastia Tudor. No entanto, embora não exista outros itens ou falas sobreviventes dessa relação entre mãe e filha, Ana Bolena fez uma grande aparição na coroação de Elizabeth I em 1559. Continuar lendo

O Natal no período Tudor (Especial Monastery Farm, legendado)

Já fazia um tempo que eu procurava por um vídeo sobre o Natal no período Tudor, e por acaso encontrei esse episódio especial da série Monastery Farm, que tem como objetivo aqui fazer um banquete dos 12 dias de Natal Tudor remontando o início do século XVI, ou seja, basicamente no reinado de Henrique VII. Eu nunca tinha assistido nenhum episódio dessa série, então fiquei um pouco chocada com as cenas de destrinchamento de animais. Com exceção disso (todas as cenas envolvendo o porco) tudo foi muito interessante, embora se estivermos pensando em aplicar isso na corte dos Tudor, tudo era muito mais luxoso, com mais pratos e mais decorações. Se pensarmos que verde e vermelho era a cor do Natal Tudor e a cor oficial dos Tudor era verde, vermelho e branco, então o Natal deles muito provavelmente lembraria um pouco o nosso.

~ Adorei as cenas da caça com falcão, embora não consiga pensar em costurar as pálpebras dos bichos como ‘gentileza’.
~ Embora a roupa dos ricos tenha se alterado muito durante a Dinastia Tudor, os ‘pobres’ continuaram a se vestir quase exatamente desse jeito até o final do reinado de Elizabeth I.
~ Uma pena que não destacaram que o dia de ano novo não era realmente ‘ano novo’. Apesar da passagem de Dezembro para Janeiro de um novo ano, os Tudor comemoravam o ano novo em 25 de Março, quando acontecia a Festa da Anunciação. Ainda, no período Tudor, não era comum dar e receber presentes no Natal: isso acontecia na festa da Anunciação.

STARZ lança teaser e fotos da série sobre Catarina de Aragão

“Mulheres bem-comportadas não fazem História”: em novembro, a STARZ lançou um trailer para promover a série The Spanish Princess, sobre Catarina de Aragão, a primeira esposa de Henrique VIII, como uma sequência das séries The White Queen e The White Princess.

Agora, o site Entertainment traz novas: “Quando conhecemos Catherine na maioria das histórias, ela já é a esposa mal-humorada presa no exílio”, observa Matthew Graham, co-showrunner da série The Spanish Princess. “O que as pessoas não percebem é que ele era casado com elehá mais de vinte anos e eles estavam apaixonadas”.

Graham e co-showrunner Emma Frost querem mostrar uma Catarina feroz e apaixonada (interpretada por Charlotte Hope, personagem Myranda em Game of Thrones), uma versão mais jovem e mais determinada de uma rainha do que a que vemos tantas vezes na cultura popular. Continuar lendo

Um banquete Tudor Elisabetano no Natal (Haddon Hall, 1590)

Em 2006 a mesma equipe que criou a série Monastery Farm fez o documentário “A Tudor Feast at Christmas”. No entanto, quando fui realmente assistir o documentário vi que nada tinha a ver com o Natal, e sim com a re-criação de um banquete Tudor-Elisabetano de 1590 na mansão de Haddon Hall. De qualquer forma, o banquete natalino tinha poucas coisas a mais do que um banquete comum, então decidi traduzir (a sincronização ficou por conta da Juliana Lima).

Como fazer uma decoração Tudor de Natal

Sabem aquele costume que vemos em filme de um casal se beijar debaixo do azevinho? Parte dessa tradição vêm do ‘Kissing Bough’, uma decoração natalina inglesa que remonta centenas de anos desde o início da Idade Média, quando era costume pendurar o enfeite como um símbolo da Santíssima Trindade. Ele não era usado apenas no Natal, pois era visto durante todo o ano como um símbolo de bênção celestinais – era aceitável que os membros da casa ou visitantes dessem um abraço como símbolo de boa vontade. Nesse vídeo, Fiona Tansey, jaardinante do Castelo de Kensilworth, nos ensina como fazer um ‘Kissing Bough’ no estilo Tudor.

Henrique VIII: amor, sexo e casamento

Neste vídeo feito na época das comemorações de 500 anos da ascenção de Henrique VIII em 2009 pela Historic Royal Palaces, diversos historiadores Tudor falam sobre o casamento, sexo e amor na Inglaterra de Henrique VIII. Todos historiadores concordam que o amor e atração eram considerados como fatores em um casamento arranjado, embora o amor não fosse levado seriamente como um fator necessário – em uma época em que trabalhar não era possível para mulheres e alguns homens, o casamento era a única forma de subsistência. Muito interessante que a análise final que Gregory faz de Ana e sua sedução é exatamente o que Mantell fala neste vídeo: