Escavação no Castelo de Sudeley revela jardim Tudor escondido

Uma escavação arqueológica pública de duas semanas foi feita no Castelo de Sudeley entre maio e junho deste ano, em Winchcombe, a maior escavação arqueológica desde os tempos vitorianos. As escavações foram lideradas por uma equipe de arqueólogos da DigVentures, que criou três trincheiras atrás do famoso Jardim da Rainha.

A escavação no castelo, reconhecida como “um dos palácios mais preciosos dos Tudors”, poderia revelar mais detalhes sobre a vida de Henrique VIII e suas esposas – particularmente durante o tempo da dissolução dos mosteiros, quando Henrique VIII decidiu se separar da Igreja Católica Romana.

Recentemente, no dia 15 de junho, foi divulgado os primeiros resultados da pesquisa: foram encontradas evidências significativas de uma casa de banquetes Tudor, na qual a Rainha Elizabeth I foi recebida em 1592 em uma celebração de três dias por conta da derrota da Armada Espanhola. Eles também encontraram evidências de jardins originais do período de Henrique VIII, que foram destruídos nos séculos 18 e 19 quando uma nova forma de paisagismo varreu o país.

A gerente geral do Castelo, Wendy Walton, disse que a escavação arqueológica foi uma oportunidade extremamente excitante e que encontrar os vestígios do jardim Tudor foi algo especial, já que dá a chance de descobrir como o castelo teria sido nos tempos de Ana Bolena, Elizabeth I e Catarina Parr.

Fonte: The Telegraph, The Telegraph

Caçador de tesouros encontra anel Tudor (que ele acredita ter pertencido a Ana de Cleves e Catarina Howard)

Usando um detector de metais, Paul Ibbotson encontrou um anel de ouro cravejado de joias num campo em Fulford, em dezembro de 2016, ele sabia que era especial. Depois de pesquisar, Paul se tornou convencido de que o anel pode ter pertencido a duas das esposas de Henrique VIII e que foi usado por Catherine Howard meses antes de ser decapitada.

Sua história fantasiosa intrigará os visitantes de um museu em York, quando o anel do século XV, avaliado em 20 mil libras, será exibido no final deste ano. O anel foi declarado oficialmente um tesouro do governo e tanto ele quanto o proprietário do terreno receberam 10 mil libras cada.

Paul está convencido de que o anel pode ser a jóia que Ana de Cleves usa no seu dedo indicador no retrato de Holbein de 1539, embora um zoom mostre que a jóia é completamente diferente. Por alguma razão, Paul também acha que Catarina pode ter usado a jóia após tê-la ganho de Ana de Cleves em julho de 1540. Ele acredita que Catarina e Thomas Culpeper podem ter se encontrado no campo, e que ela pode ter perdido o anel lá. Lucy Creighton, do Museu de Yorkshire, diz que é uma história impossível de ser verificada e que ‘não faz o menor sentido’. De qualquer forma, é uma bela peça Tudor!

Fonte: Daily Motion

Elizabeth I: O Coração de um Rei (3/4)

O terceiro episódio da série de David Starkey sobre a vida e morte de Elizabeth I começa com a Armada, e toda a história que antecedeu a ela. Gostei muito de terem retratado o pobre Duque de Anjou, que tinha sido cruelmente ridicularizado no filme Elizabeth, apenas dois anos antes do lançamento desse documentário. Na verdade, o relacionamento de Anjou e Elizabeth foi bem sério, e ele foi o último pretendente que ela realmente considerou se casar.

Conheça “Six”, o novo musical sobre as seis esposas de Henrique VIII

Um dos mais famosos (ou eu até poderia dizer, único) musical sobre as seis esposas de Henrique VIII foi o chamado The Six Wives of Henry VIII, criado pelo tecladista inglês Rick Wakeman, lançado em janeiro de 1973, contando suas interpretações das esposas de Henrique VIII de forma musical.

Isso até setembro de 2018, quando Lucy Moss e Toby Marlow criaram um novo musical para as seis esposas de Henrique VIII, chamado SIX. O musical imagina todas as esposas de Henrique VIII como um grupo pop do século XXI. Apesar de seu sucesso, o musical só ficou reconhecido no mês passado, quando tocou no Olivier Awards e ganhou prêmios no WhatsOnStage Awards e Off West End Awards ainda neste ano.

O musical, que começou como uma produção estudantil para o festival de teatro Edinburgh Fringe, está no Teatro de Londres pela segunda vez, e foi está trabalhando em turnês internacionais na Austrália e nos EUA. Desde que foi executado no Fringe em 2018, o humilde musical feito por estudantes da Universidade de Cambridge virou a cabeça de vários produtores, e Six foi retocado pelas mãos de uma equipe de designers, arranjadores de música e coreógrafos.

O musical tem 75 minutos e Moss, uma de suas escritoras, é formada em História. Para ela, essa foi uma chance não apenas de reavaliar a reputação das esposas de Henrique, mas de esclarecer as coisas. Cada estilo e música cantada pelas seis esposas são baseadas em ícones pop do século 21: Beyoncé e Shakira para Catarina de Aragão, Lily Allen e Avril Lavigne para Ana Bolena, Adele e Sia para Jane Seymour, Nicki Minaj e Rihanna para Ana de Cleves, Ariana Grande e Britney spears para Catarina Howard e Alicia Keys e Emeli Sandé para Catarina Parr.

O musical completo ainda não está disponível na internet, apenas uma de suas musicas principais, “Ex-Wives”, que pode ser assistido legendado no nosso canal:

Fonte: Standard,

Elizabeth I: A Rainha Virgem (2/4)

Nesse segundo episódio da série de Starkey sobre Elizabeth ficamos sabendo mais sobre o início de seu reinado e suas primeiras dificuldades, sendo elas a religião do país, a insistência para que ela se casasse e, claro, Maria Stuart. O episódio abrange os episódios do ano de 1558 até o ano de 1572.

12:58 – Notem o desenho de um falcão branco segurando um bastão com uma rosa Tudor ao lado. Esse era o brasão de sua mãe, Ana Bolena.
22:06 – A conversa foi dramatizada no seguinte documentário: https://youtu.be/ODbEWM-7nXY?t=548