O Casamento de Henrique VII e Elizabeth de York

Casamento de Henrique VII e Elizabeth de York, por English School.Alta, loira, de pele clara e bonita, Elizabeth de York foi descrita por seus contemporâneos como amável, gentil e muito querida. Ela começou sua vida como a primeira filha de Eduardo IV e Elizabeth Woodville. Primeiramente, um casamento foi sugerido com o Delfim da França, mas nada aconteceu e, após a morte de seu pai, ela e suas quatro irmãs foram consideradas oficialmente bastardas. Elizabeth, com dezenove anos, foi confinada na Sheriff Hutton Castle em Yorkshire até que Henrique Tudor derrotou Ricardo III e m Bosworth Field, em 1485, e fez-se rei.

Henrique era nove anos mais velho que ela e ainda não tinha se casado. Eles poderiam nunca terem se visto mas, como a herdeira da casa de York, ela era a esposa óbvia para ele, para que a casa de York e Lancaster se unissem e a Guerra das Rosas acabasse. No entanto, Henrique Tudor não tinha nenhuma intenção de dividir o poder. Assim, ele organizou sua coroação antes do seu casamento, em 30 de outubro de 1485. O casamento ocorreu em 18 de janeiro de 1486 e Elizabeth imediatamente provou ser uma rainha bem-sucedida: nove meses depois, um sucessor masculino veio ao mundo: Artur Tudor. Em 25 de novembro de 1487, Elizabeth foi coroada rainha consorte.

Ela deve ter sido uma figura bonita de se ver: não tinha completado seu vigésimo segundo ano, sua figura era alta, elegante e majestosa. Sua vestes consistiam em uma túnica de pano branco de ouro, damasco, e um manto do mesmo, forrado com arminho, com botões de ouro. Em seu cabelo loiro, ela usava uma crista de pedras preciosas e uma rica coroa. O rei decidiu que Elizabeth deveria ter toda a atenção do público, e escondeu-se durante toda a cerimônia na Abadia de Westminster com sua mãe.

Henrique VII por artista desconhecido, cerca de 1470-1480.

Henrique VII era alto, magro, moreno e bonito, no auge de sua vida. Na época de seu casamento, eles provavelmente eram um casal aparentemente perfeitos. Eles foram os fundadores do que seria uma poderosa dinastia, e foram imediatamente um sucesso. Durante seu casamento, Elizabeth daria luz à oito filhos, dos quais quatro sobreviveriam. Artur, Margaret, Henrique e Maria seriam os quatro que fariam casamentos impressionantes.

David Starkey apresenta a teoria de que foi a própria Elizabeth que ensinou seus filhos a ler e escrever. Ela certamente parecia vigiar suas crianças. Ao escolher a domesticidade, Elizabeth foi capaz e evitar a política da época, proporcionando um fundo normal e estável para seus filhos. A mãe de Henrique, Margaret Beaufort, assumia algumas das tarefas mais onerosas do Estado (permitindo mais liberdade para Elizabeth). Ao contrário da crença popular, Elizabeth recebeu uma coroação pródiga, e foi ungida Rainha da Inglaterra.

Apenas um ano da vida de Elizabeth como rainha é particularmente bem documentada. Documentos de 1502-1503 dão indicações dos hábitos e prazeres desta mulher. Ela tinha um amor pela elegância; barcaças eram frequentemente enviados para os palácios reais para buscar vestidos específicos que ela desejava usar, sendo estes feitos de veludo roxo, azul, castanho-avermelhado ou dourado. Seu interesse pela literatura, teatro, arquitetura e jardinagem também são evidentes. Ela foi generosa com esmolas, dando regularmente para ‘mulheres pobres, freiras e santuários locais, oferecendo doações em dias santos e para pessoas carentes. Elizabeth de York personificava os atributos reais de caridade, piedade e acessibilidade, compensando o papel masculino distante e autoritário.

Elizabeth de York, por Cosmo Alexander.A rainha de Henrique VII está enterrada ao lado dele na Abadia de Westminster, em um magnífico túmulo de mármore fornecido pelo seu filho, Henrique VIII. O rosto de sua efígie pode ter sido baseada em sua máscara mortuária, tirada quando ela morreu em seu trigésimo sétimo aniversário, nos aposentos reais na Torre de Londres. Ela não tinha se recuperado de um parto, uma semana antes, do seu talvez prematuro oitavo filho – uma menina, que não sobreviveria por muito tempo. O caixão da rainha morta, envolto em veludo preto, foi carregado para Westminster por seis cavalos pelas ruas iluminadas com tochas. Seu marido real, que não era um homem sentimental, foi para um quarto e deu ordens para que fosse deixado sozinho. O jovem Henrique, de onze anos, também ficou profundamente infeliz.

Bibliografia:
The Lost Tudor: Elizabeth of York‘, escrito por Amy Licence. Acesso em 22 de maio de 2013.
The Death of Elizabeth of York‘, escrito por Richard Cavendish. Acesso em 22 de maio de 2013.
The Marriage of Henry VII and Elizabeth of York‘, escrito por Stephanie Tracy. Acesso em 22 de maio de 2013.
Elizabeth of York – February 11th, 1466 – 11th February, 1503‘. Acesso em 22 de maio de 2013.

Anúncios

4 comentários sobre “O Casamento de Henrique VII e Elizabeth de York

  1. Maravilhosa história de vida, da adversidade deu a volta e se tornou rainha. Sua morte súbita, no entanto, era coisa normal nessa era.

  2. Henrique VII Tudor bonito? Gentileza de seus contemporâneos. Não encontro um retrato apetecível deste personagem, parece sempre precocemente envelhecido. A descendente q me sugere mais semelhança é Elisabeth I, parecida com o avô paterno.
    O nariz e rosto afilado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s